Marabá: Setembro registra o menor número de mortes por covid-19

Entretanto, mesmo diante dos números positivos, infectologista adverte que ainda são necessários os cuidados básicos como distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

No mês de setembro, o município de Marabá registrou, até esta quarta-feira (29), apenas duas mortes por covid-19, a última há mais de duas semanas. O número é 75% menor que o registrado em agosto quando oito pessoas perderam a vida por causa da doença. O avanço da vacinação tem influenciado diretamente na diminuição do número de casos da doença e de mortes causadas por ela.

De acordo com o último boletim de vacinação, mais de 155 mil pessoas receberam ao menos, a primeira dose do imunizante. O dado aponta que cerca de 75% da população com mais de 12 anos, aproximadamente 206 mil pessoas, já começou o ciclo de imunização. Além disso, mais de 59 mil pessoas já receberam as duas doses. E o município já começou a aplicação da terceira dose do imunizante em idosos com mais de 70 anos.

Segundo o boletim epidemiológico do município do dia 28 de setembro, Marabá registrou 19.894 casos da doença confirmados e 459 óbitos, apresentando uma taxa de letalidade de 2,3%, abaixo da média nacional de 2,8%.

Na avaliação de Sabrina Acyoly, diretora da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Marabá, é perceptível como a imunização da população tem refletido nos números da pandemia no município.

“Nós observamos que, com a evolução da vacinação no município, tivemos uma grande redução tanto no número de casos confirmados como no número de internações. As ocupações de leito caíram drasticamente e, assim, consequentemente reduz o número de óbitos. Se não há pacientes internados e com quadro grave o número de óbitos é reduzido como podemos observar em setembro. Nós atribuímos esses números à quantidade de pessoas vacinadas com a primeira dose e uma boa parte também com a segunda dose”, pontua a diretora.

Apesar do cenário favorável, o médico infectologista Harbi Othman observa que ainda são necessários os cuidados básicos como distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos. O médico ressalta também que os números positivos já eram esperados por causa da cobertura vacinal, mas que, com o avanço da variante Delta que já está circulando no Brasil, é preciso aliar os cuidados com a ampliação da imunização.

“Nós estamos vendo que nos Estados Unidos a média móvel de óbitos aumentou principalmente por causa dessa variante e aqui no Brasil existe o risco de disseminação da variante Delta. Então, temos que manter os cuidados mesmo com a redução dos números de óbitos e da ocupação de leitos. Em muitos casos a imunização evita que a pessoa contraia a doença e, caso contraia, seja um caso mais leve”, destaca o infectologista.

Ressaltando que a Secretaria Municipal de Marabá (SMS) está aplicando a dose de reforço dos imunizantes nos idosos após realizar chamadas dos demais grupos prioritários e faixas etárias.

(Fonte: Secom PMM)