Marabá: Sespa ministra oficina de Vigilância e Controle das Doenças Endêmicas

A capacitação está sendo realizada com coordenadores e profissionais de saúde do 11º Centro Regional de Saúde e dos 21 municípios de sua abrangência. Os servidores aprendem condutas e manejo das principais endemias que afetam a população paraense
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Servidores participam de oficina sobre doenças endêmicas

Continua depois da publicidade

Servidores do 11º Centro Regional de Saúde, localizada em Marabá, no sudeste do Pará, e dos 21 municípios de sua abrangência, estão participando de oficina de capacitação sobre doenças endêmicas. A Oficina de Vigilância e Controle das Doenças Endêmicas, que começou nesta segunda-feira (23), está sendo realizada pela Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), por meio do Departamento de Controle de Endemias (DCE).

O objetivo é atualizar os coordenadores e profissionais de saúde sobre condutas nas ações de Vigilância Epidemiológica e manejo das principais endemias que afetam a população paraense, como doença de Chagas, arboviroses (dengue, chikungunya, zika) e malária. Segundo a coordenadora estadual de Arboviroses, Aline Carneiro, responsável pela coordenação da oficina, é importante que os profissionais estejam sempre atualizados, para que as ações de controle, diagnóstico e tratamento das doenças alcancem melhores resultados.

A capacitação prossegue até esta sexta-feira (17), na Secretaria Municipal de Saúde de Marabá (SMS), com a participação de coordenadores da Atenção Primária em Saúde, coordenadores de Vigilância Epidemiológica, médicos, enfermeiros e farmacêuticos. De acordo com a Sespa, paralelamente, também estão sendo realizadas palestras para os acadêmicos de medicina e enfermagem da região.

No primeiro dia de oficina foram abordados os temas “Plano de Fluxo de Medicamentos do DCE” e “Leishmaniose: Vigilância e Controle”. Nesta terça-feira (14), serão abordados os temas “Doença de Chagas: Vigilância e Controle” e “Zoonoses: Vigilância e Controle”; na quarta (15), “Arboviroses: Vigilância e Controle”; na quinta-feira (16), “Malária: Vigilância e Controle”, “Potencial Malarígeno” e “Malária: SIES, Sivep (malária/vetores)” e “Planilhas Eletrônicas”; e sexta-feira (17), fechando a programação, “Conduta médica em diagnóstico, tratamento e acompanhamento das doenças endêmicas”.

Tina DeBord – com informações da Sespa