Marabá: Secretaria de Saúde esclarece que doses da vacina AstraZeneca aplicadas no município estavam no prazo de validade

A secretaria informa que executa uma inspeção criteriosa em todos os lotes recebidos, conferindo quantidades de doses, validade do lote enviado e data limite para aplicação das doses
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Diante de notícia veiculada na edição desta sexta-feira (2), da Folha de S. Paulo, dando conta de que 26 mil doses da vacina da AstraZeneca, enviadas a vários municípios do País, estavam vencidas, a Prefeitura de Marabá, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, postou Nota de Esclarecimentos em suas mídias sociais, informando que todas as doses do imunizante aplicadas no município estavam dentro do prazo de validade. Leia, a seguir, na íntegra, o comunicado:

“A Secretaria de Saúde de Marabá informa que recebeu 1.740 doses do lote 4120Z025 (AstraZeneca). Elas foram aplicadas do dia 3 a 6 de março e no dia 1 de abril de 2021, portanto dentro do prazo de validade do imunizante. Do lote CTMAV501 (AstraZeneca) com validade para 30 de abril, Marabá recebeu 5.920 doses, que foram aplicadas entre os dias 1 e 31 de março de 2021 e de 1º a 30 de abril, portanto dentro do prazo de validade do lote. O lote seguinte 4120Z005 (AstraZeneca) com 1.510 doses foram aplicadas nos dias 29 de janeiro, também de 1º a 26 de fevereiro, 5 de março e 1º de abril, portanto também dentro do prazo de validade.

A Secretaria de Saúde informa ainda que ocorreu um erro de digitação no sistema, dando a entender que apenas um paciente teria sido vacinado fora do prazo de validade dos lotes. Imediatamente, foi feita uma busca ativa no sistema, fazendo a correção do erro de digitação.

A Secretaria de Saúde informa que executa uma inspeção criteriosa em todos os lotes recebidos da Secretaria Estadual de Saúde, conferindo quantidades de doses, validade do lote enviado e data limite para aplicação das doses. Com relação aos lotes recebidos estarem vinculados aos Postos de Saúde, a Secretaria informa que, por questão de logística e espaços maiores, a aplicação das doses foram feitas em Escolas, a fim de respeitar todos os protocolos de segurança sanitária e atender a grande demanda de forma mais rápida, além de não inviabilizar a operação do posto de saúde.

Portanto, ressaltamos que os lotes acima descritos estavam dentro dos prazos estabelecidos. Eles foram aplicados nas datas informadas acima e apenas uma dose foi equivocadamente inserida no sistema, o que já foi devidamente retificado. Esta nota também já foi enviada a redação da Folha de São Paulo.”

Por Eleutério Gomes – de Marabá