Marabá: Expoama abre com público menor que o esperado

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Paulo Costa – de Marabá

O público não foi o esperado para a noite de abertura da 27ª Expoama (Exposição Agropecuária de Marabá), que acontece no Parque de Exposição de Marabá. Ontem, sábado, 6, menos de 15 mil pessoas estiveram no evento, que geralmente reúne 30 mil na primeira noite.

O show de abertura também não agradou a maioria do público. O cantor sertanejo Lucas Lucco, segundo Laysa Miranda, cantou poucas canções dele mesmo e acabou desagradando muitos fãs como ela, que acabaram indo embora para casa mais cedo. “Cobraram 40 reais pra gente assistir a um show de baixa qualidade. É uma pena, porque a Expoama já foi um ótimo evento, mas agora está saturado”, avaliou a jovem, que é servidora pública estadual.

Os estandes também não tinham o público de outras edições da Feira Agropecuária considerada uma das maiores do Norte. O número de expositores também não está sendo tão expressivo como em anos anteriores, assim como as fazendas que realizam os leilões. Tanto que o Grupo Revemar está tendo de realizar leilões em dois dias para não ficar descoberto.

Até mesmo o número de shows da Expoama este ano está sendo bem menor, com apenas três artistas nacionais. O próximo será na quinta-feira, dia 11, na abertura do Rodeio, com a dupla Zé Ricardo e Tiago; e no sábado (13), Paula Fernandes se apresenta para o público. O governador Simão Jatene, que estava sendo aguardado na abertura do evento, acabou não comparecendo, frustrando a diretoria do Prorural, que promove a feira agropecuária.

De acordo com James Sena Simpson, o Jimmy, diretor do Prorural, a Expoama, nesta edição, inicia um novo ciclo. “Faremos uma reformulação tanto no sindicato quanto na Expoama. Brevemente a barreira do Tocantins será extinta, o Pará passa a ser zona livre de aftosa e isso vai enriquecer muito as exposições aqui do sul e sudeste paraense, que estavam prejudicadas porque o gado do Nordeste não podia vir para cá. Agora já pode participar”, comemora Jimmy.

A pretensão do Prorural, em médio prazo, segundo ele, é transformar a Expoama num evento internacional. “No Brasil, hoje só existem três feiras internacionais. Outra feira que tem total condição de se tornar internacional seria a nossa, porque o estado do Pará é exportador de gado, carne, minério etc”, explica.

Menos atrações

Sobre a menor quantidade de shows, Jimmy esclarece que a direção do Prorural, por respeitar a condição financeira do povo de Marabá, resolveu optar pelas atrações contratadas. “Não adianta querermos trazer show todo dia porque as pessoas não dão conta de ir ao parque”, opina Jimmy, acrescentando que o objetivo é continuar com a tradição para a população carente poder participar da Expoama.

Em relação ao volume de negócios a serem fechados ao longo dos nove dias de Expoama, o Prorural estima que deverá ser na ordem de R$ 25 milhões, incluindo os negócios através de financiamentos em bancos. “Mas a feira é também uma vitrine de bons negócios para o futuro”, contemporiza.

Serão realizados oito leilões ao longo da 27ª Expoama, além de outros três ocorridos na véspera do evento.

Publicidade