Mais de 6 mil animais são vacinados contra raiva em Canaã dos Carajás

Vacinação antirrábica de cães e gatos encerrou na semana passada. Segundo a Vigilância de Zoonoses, a campanha ultrapassou a meta.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Campanha de Vacinação Antirrábica realizada em Canaã dos Carajás encerrou na última sexta-feira (17), com a imunização de cães e gatos na zona rural da cidade. Segundo a Unidade de Vigilância em Zoonoses, mais de 6 mil animais foram vacinados contra a raiva.

A coordenadora da Unidade de Vigilância de Zoonoses, a médica veterinária Janaína Pires Cheab, informou que a meta era vacinar 5.521 cães e gatos das zonas urbana e rural e os números foram ultrapassados em três meses de campanha. No total, foram vacinados 6.131 animais.

“Esse ano, as nossas expectativas em relação a campanha foram bem positivas. Nós, da Unidade de Vigilância de Zoonoses, juntamente com a Vigilância Ambiental, coordenada pela médica veterinária, a doutora Willa Souza e com a Vigilância em Saúde com a coordenação de Douglas Pacheco, nos reunimos para definir estratégia para conseguir atingir o maior número possível de animais a serem vacinados. Graças a Deus, a gente ultrapassou a nossa meta. Foi de fato um trabalho em equipe, com apoio da nossa secretária de saúde, Daiane Celestrine que confiou na equipe, bateu o martelo para as nossas decisões e tivemos um resultado além do esperado”, comemorou Janaína Cheab.

Raiva

Quase sempre fatal, a raiva é uma zoonose que pode também afetar o ser humano e por isso os cuidados se redobram no combate e prevenção da doença. A vacina antirrábica é a única forma de prevenir a enfermidade e manter os animais saudáveis. O vírus que provoca a doença ataca o sistema nervoso central do hospedeiro, causando inflamação no cérebro e que evolui de forma bem rápida.

A médica veterinária e coordenadora da Vigilância Ambiental, Wiliam Souza, explica que o vírus existente na saliva do animal infectado pode ser transmitido por meio de mordedura, arranhadura ou lambedura. “É uma doença de mamíferos com 4 ciclos: ciclo urbano por meio do cão e gato; o ciclo rural com os equinos, bovinos e suínos; o ciclo aéreo com os morcegos; e o ciclo silvestre com os macacos. Temos essa grande preocupação porque no Pará tivemos três grandes surtos da raiva, em 2002, 2005 e 2018 e todas foram por meio de morcegos hematófagos”, esclareceu Wiliam Souza.

A estratégia de manter os animais protegidos por meio da vacina antirrábica também permite manter em segurança a vida humana. “Cães e gatos são animais domésticos. Eles sempre estão em contato com os humanos. Protegendo nossos cães e gatos também teremos sempre essa proteção. Canaã nunca teve caso de raiva humana e não há comprovação da doença em animais, por isso trabalhamos com o programa de controle da raiva para que a gente possa continuar mantendo esses índices zerados”, enfatizou a coordenadora Wiliam.

Nos últimos três anos, o município se aproximava da meta estipulada mas em 2021, a campanha ultrapassou a meta pela primeira vez.

Por Dayse Gomes