Marabá vai entrar 2022 investindo R$ 16 milhões em diagnósticos

Saúde é um dos maiores desafios do principal município do sudeste paraense. Com 288 mil habitantes, só 27 mil deles têm cobertura de plano; 100 mil de outras cidades usam SUS local
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Não tem recesso para o prefeito Tião Miranda. Ele, que enfrenta atualmente grandes desafios na área de saúde pública, terá como uma de suas primeiras atividades do ano novo licitar R$ 16,08 milhões em exames laboratoriais, cujas propostas comerciais estão previstas para serem apreciadas no dia 5 de janeiro. Um edital de registro de preços com essa finalidade já está nas ruas desde novembro.

As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu, que observou a intenção da Prefeitura de Marabá em adquirir pelo menos 76 tipos diferentes de exames — nas áreas de bioquímica, urianálise, coagulação, gasometria, hematologia e dosagem de hormônios. O pacote inclui também sessão de reagentes e uso de aparelhos, no regime de comodato, para serem utilizados na rede hospitalar, bem como em unidades e centros de saúde.

Em justificativa para pautar a licitação, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), organizada do pregão, diz que a contratação garante o acesso a serviços de saúde a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que não têm condições de arcar com os custos de exames laboratoriais necessários a um diagnóstico preventivo e preciso. A opção pela aquisição de reagentes laboratoriais em regime de comodato dos aparelhos é mais vantajosa para a pasta porque, entre outros benefícios, incluem-se fatores como a depreciação dos equipamentos que poderão ser renovados por aparelhos mais modernos. Além disso, a empresa vencedora ficará com a responsabilidade de dar manutenção preventiva e corretiva nos equipamentos.

Exames de graça

Diversos exames bastante comuns e rotineiros de sangue vão estar acessíveis à população usuária dos serviços hospitalares de Marabá, assim como as dosagens mais apuradas. O Blog levantou junto à Agência Nacional de Saúde Suplementar que, dos atuais 288 mil habitantes do município, só 27 mil (9,4%) são beneficiários de planos de saúde. Somem-se aos mais de 260 mil cidadãos sem plano outras 100 mil pessoas oriundas de municípios circunvizinhos, que muitas vezes se valem da estrutura de saúde da Prefeitura de Marabá, devido ao fato de o município ter serviços mais estruturados, diversificados e amplos.

Na área de bioquímica, os usuários poderão checar, entre outros, colesterol, glicose, triglicerídeos, proteínas totais, ácido úrico, níveis de saúde de rins, fígado, pâncreas, bílis, além de poder detectar por meio do exame da proteína c reativa eventuais doenças autoimunes. Também serão disponibilizados, na área de hematologia, 140 mil hemogramas completos e, em urianálise, 60 mil exames de urina.

Será possível verificar também a saúde da glândula tireoide, por meio dos exames T3, T4 e TSH, assim como a próstata, a partir do PSA. Os níveis das vitaminas D e B12 — importantes para diagnóstico de, entre outras coisas, doenças neurológicas — também serão medidos. O rastreamento de doenças virais (como HIV e herpes), bacterianas (a exemplo da sífilis) e parasitárias (toxoplasmose é uma delas) também será disponibilizado gratuitamente.