Licitação do Prosap terá R$ 70 milhões para ‘briga’ entre empreiteiras

Prefeitura de Parauapebas abriu licitação para primeira etapa do projeto, que será executada no complexo Tropical. Há previsão de 2 mil empregos com carteira assinada; veja alguns cargos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Pronuncie se puder e, de preferência, com calma: R$ 69.837.182,34. Isso mesmo: quase R$ 70 milhões é o valor da licitação, na modalidade concorrência, que a Prefeitura de Parauapebas acaba de lançar para contratar uma empresa de engenharia que se comprometa em realizar as obras de macro e microdrenagem do Programa de Saneamento Ambiental do município, o famoso Prosap. As informações foram levantadas com exclusividade pelo Blog do Zé Dudu.

O Blog folheou o edital do projeto, um turbilhão de papéis com 425 páginas, por meio do qual o governo do prefeito reeleito Darci Lermen pretende mexer na infraestrutura urbana, de maneira a implantar sistemas viário, de esgotamento sanitário, de abastecimento de água, de urbanização e de iluminação pública – isso apenas na primeira etapa do Prosap.

Desta quarta-feira (18) a exatamente um mês haverá a abertura de envelopes para conferência das propostas comerciais. Levará o contrato quem se oferecer a executar toda a empreitada por menos que o valor proposto pela prefeitura. O gigantesco edital tem tantas exigências que, a grosso modo, só a sua leitura já elimina por cansaço as interessadas. Mas também pudera: os quase R$ 70 milhões disponíveis apenas para a primeira etapa do programa são suficientes para sustentar com tranquilidade 69 dos 144 municípios paraenses.

A prefeitura defende que o Prosap caracteriza-se como alternativa para revitalização ambiental de alguns dos principais canais de drenagem que atravessam a cidade de Parauapebas e para resolução de problemas recorrentes de inundações em pontos específicos da área urbana. Como parte do programa, foi proposto o projeto de saneamento ambiental, macrodrenagem e recuperação do Igarapé Lajeado, especificamente destinado às intervenções na Bacia do Igarapé Lajeado, cujo traçado possui cerca de 12,4 quilômetros em meio a áreas urbanizadas da cidade.

2 mil vagas de emprego

Esta primeira megalicitação, ressalte-se, refere-se apenas à primeira etapa das obras e compreende os bairros Novo Tempo, Tropical 1 e 2, Ipiranga, Ipê e Vale do Sol. Para sua realização, há previsão de que sejam mobilizados em torno de 2 mil postos de trabalho com carteira assinada na construção civil. 

O Blog identificou que serão abertas oportunidades para engenheiros civis pleno e júnior, arquiteto júnior, técnico em segurança do trabalho, técnico em meio ambiente, topógrafo, auxiliar de topografia, auxiliar de escritório, encarregado geral, mestre de obras, motorista, vigia e almoxarife. Esses, porém, são apenas alguns dos cargos nominalmente listados. Haverá demanda de dezenas de profissionais de outros segmentos e muito trabalho.

Publicidade