Marabá

Juiz eleitoral recorre à Câmara para aumentar biometria em Marabá

Durante a Sessão Ordinária desta quarta-feira, dia 20 de fevereiro, o juiz eleitoral Augusto Bruno de Moraes Favacho, da 100ª Zona Eleitoral, com sede em Marabá, foi recebido em companhia de Marcos Tristão, chefe do Cartório da 100ª ZE, e de Carla Hans Teixeira, analista judiciária do TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

Ele usou a tribuna e explicou que veio pedir ajuda do Poder Legislativo para alcançar o maior número de eleitores que ainda não fizeram recadastramento da biometria. Lembrou que a data para encerrar este serviço no município é 31 de maio próximo e até agora mais de 90 mil eleitores ainda não compareceram a um dos três locais de recadastramento da biometria. “Estamos usando todos os meios possíveis para o recadastramento. O eleitor que não comparecer para realizar esse serviço terá vários tipos de problemas. Se hoje gasta cinco minutos para a biometria, quem deixar para depois vai gastar de três a cinco horas”, alertou.

O magistrado sugeriu a realização de um convênio entre a Justiça Eleitoral e a Câmara Municipal, com a disponibilização de veículos para ajudar a ir atrás dos eleitores nas comunidades e sensibilizá-los a realizar a biometria. “Depois que terminar o prazo, não será possível mais prorrogar. O TRE-PA vai selecionar outros municípios para realizar o serviço. Democracia se fortalece pelo voto e deve ser empenho de todos nós alertar os eleitores para vir até os postos de cadastramentos”.

O magistrado respondeu a várias dúvidas dos vereadores sobre a legalidade do convênio e também sobre outras formas de ajudar na divulgação da campanha de recadastramento promovida pela Justiça Eleitoral e ressaltou que o convênio, caso seja assinado, será referendado pelo Ministério Público Estadual, que fiscaliza o trabalho de biometria.

O juiz Augusto Bruno de Moraes Favacho antecipou que, logo após o Carnaval, a Justiça Eleitoral deverá disponibilizar um ônibus para que uma equipe volante percorra as comunidades de Marabá para realizar o cadastramento nos bairros. Disse, ainda, que uma estratégia foi montada para alcançar as principais vilas da zona rural com o ônibus.

Ulisses Pompeu – de Marabá

Deixe seu comentário