Incêndio é difícil de ser controlado em Carajás

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

incêndioMais de 500 hectares da Floresta Nacional de Carajás já foram destruídos por um incêndio que começou no último dia 16 e até agora não foi controlado. A área queimada equivale a 500 campos de futebol e fica distante 20 km, em linha reta, da cidade de Parauapebas, Sudeste paraense. Exatos 100 homens trabalham para controlar as chamas, mas os fatores geográficos e climáticos dificultam a ação. O fogo começou numa área próxima à linha de transmissão de energia que abastece ao Complexo Minerador de Carajás.

De acordo com o coordenador regional do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Fabiano Gumier, o incêndio tem sido combatido desde que foi detectado, no último dia 16. “Na verdade foram dois focos de incêndio na mesma área, o primeiro foi detectado dia 16 e o segundo dia 20. Este período é de estiagem no Sul e Sudeste do Estado, isso facilita que as chamas se espalhem mais rapidamente”, disse.

A situação já chega a níveis alarmantes e, no último final de semana, o ICMBio passou a contar com o auxílio de um helicóptero. “A área é de muito relevo, então o acesso por terra não é tão fácil”, destacou Fabiano.

As causas do incêndio ainda estão sob a investigação da equipe de perícias do Mosaico de Carajás, que ainda não deu nenhum parecer conclusivo sobre o caso. A preocupação do Instituto também é com os animais que habitam a Floresta Nacional de Carajás, já que diversas espécies foram encontradas mortas, principalmente répteis e pequenos mamíferos.

Por meio de nota oficial, a Vale se manifestou sobre o caso e afirma que, em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), está trabalhando para conter o incêndio. Segundo a nota divulgada, “A Vale disponibilizou recursos físicos e humanos para ajudar a combater o incêndio. Uma equipe de brigada de incêndio construiu aceiros e está equipada com caminhões de combate e bombas costais para evitar que o fogo se alastre. Um helicóptero preparado para combate a incêndio florestal foi mobilizado para dar suporte a esse trabalho, devendo chegar em Carajás na sexta-feira”.

Fonte: Diário do Pará

Relacionados