Helder avalia decretar lockdown no Pará por conta do avanço da Covid-19

Segundo o governador, com o colapso do sistema de saúde, já há registro de aproximadamente 50 mortes em domicílio no Estado
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Frente ao avanço do novo Coronavírus, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), admitiu em entrevista a GloboNews, neste domingo, 3 de maio, que vai avaliar a taxa de isolamento do Estado até terça-feira, 5, para decidir se decreta ou não lockdown (bloqueio total). Ele revelou que com o colapso do sistema de saúde já há registro de aproximadamente 50 mortes em domicílio no Pará.

“Não tem justificativa para que as coisas não sejam mais rápidas. Eu tenho cobrado da minha equipe. O fato é que há 10 dias a gente tinha uma média de cinco óbitos em domicílio. E nesse momento estamos chegando a 50 óbitos em domicílio. Estamos buscando desburocratizar essa processo, dialogando com a prefeitura de Belém, dialogando com os médicos, com a equipe de legistas para que seja mais rápido”, disse sobre a liberação de corpos pelo Serviço de Verificação de Óbito da Sespa.

Na última sexta-feira, 1º, o governador já havia dito que poderia adotar medidas mais drásticas, como utilizar a força do Estado, para garantir o isolamento social. Ele se pronunciou em um vídeo nas redes sociais após um aumento de 160% nas mortes por Covid-19 em uma semana no Pará.

No Brasil, apenas o governo do estado do Maranhão decretou o lockdown. O governador do Pará não explicou como a medida deve funcionar no Pará, mas disse que o plano para execução está pronto.

“Todas as pesquisas apontam que nós ficamos entre 45% e 50% de isolamento. Isso é muito baixo. Na última sexta fiz um último apelo. Estamos na fase de conclusão de um projeto com bastante restrição, indo no caminho do lockdown. Não serão medidas para o Estado todo. Serão medidas para as cidades que já apresentam um percentual amplo de contaminação. Hoje 18 municípios do Estado representam mais 95% dos casos da Covid-19 no Pará”, completa o governador.

(Com informações do G1 Pará)

Publicidade