Governo pede à Vale que suspenda transporte de trem de passageiro entre o Pará e Maranhão

A medida visa evitar a disseminação no Pará da variante indiana da Covid-19. O estado também enviou ofícios cobrando de instituições e órgãos de fiscalização, quais as medidas de prevenção que estão sendo tomadas contra a variante da doença, visando resguardar a saúde da população paraense
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Neste domingo (23), o governo do estado formalizou, através de ofícios, pedidos de informações sobre quais medidas de prevenção contra a variante indiana da Covid-19 estão sendo tomadas por instituições e órgãos de fiscalização, para resguardar a saúde da população paraense. Dentre as solicitações, foi enviado à empresa Vale um pedido, em caráter de urgência, para que seja suspenso, temporariamente, o serviço de transporte de passageiros realizado pelo trem da Estrada de Ferro Carajás entre o Pará e o Maranhão, onde foi registrado a variante do vírus, até que a situação epidemiológica permita e autorize a retomada das viagens.

No documento, o governo considera preocupante a atual situação do estado do Maranhão, onde foi detectada a nova cepa indiana da Covid-19. Atualmente, o Trem de Passageiros possui 15 pontos de parada, em 27 municípios localizados entre os estados do Pará e do Maranhão.

“O estado já formalizou e enviou ofício à empresa Vale, pedindo que suspenda imediatamente o trem da Estrada de Ferro Carajás, como medida de segurança, assim como também aos demais órgãos de segurança e fiscalização para saber quais as ações que estão sendo tomadas para monitorar passageiros que entram no Pará,” ressaltou o governador Helder Barbalho.

Por meio das suas redes sociais, Helder Barbalho informou, ainda, que foram enviados pedidos de informações aos diretores presidentes da Companhia das Docas do Pará (CDP) e da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), assim também como aos superintendentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e do Aeroporto Internacional de Belém, sobre as medidas de prevenção tomadas em portos, aeroportos e nos postos localizados nas divisas do estado do Pará com o Maranhão, para combater, em território paraense, a proliferação da cepa indiana.

“Já emitimos, através da Secretaria de Saúde (Sespa), nota de alerta para que os serviços de saúde do estado fiquem atentos à identificação de possíveis casos da variante aqui no Pará. Todas as providências estão sendo tomadas, mas nós pedimos que a população continue se protegendo, usando máscara, não descuidando das medidas de segurança e, para quem puder, que fique em casa. Se proteja, proteja sua família,” reforçou o governador.

O Maranhão confirmou, na quinta-feira (20), os primeiros casos da variante indiana do novo coronavírus (B.1.617) no Brasil. Os seis casos da nova cepa no país foram detectados em tripulantes do navio MV Shandong da Zhi, que saiu da Malásia e chegou ao litoral maranhense, no último dia 14 de maio.

Um dos infectados foi internado em um hospital particular de São Luís. Os outros estão isolados dentro do navio, em alto mar.

Recomendações 

Na sexta-feira (21), a Sespa emitiu nota de alerta para que os serviços de saúde do estado estejam atentos para identificação de casos no território paraense. Também foram feitas recomendações, durante reunião realizada com representantes do Centro de Operações Emergenciais (COE-Covid-19/PA), técnicos da vigilância sanitária do Estado, técnicos da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), além de representantes dos centros regionais de saúde da área de fronteira, para que haja intensificação da vigilância em portos, rodoviárias e aeroportos, sendo solicitado à ANVISA que notifique de forma imediata a ocorrência de casos suspeitos identificados durante as fiscalizações para a investigação e adoção das medidas de isolamento.

Segundo a Sespa, o Pará não possui, até o momento, registro de casos confirmados da nova cepa indiana. No entanto, no sábado (22), foram analisadas amostras de dois pacientes do município de Primavera, no nordeste paraense, pelo Laboratório Central (Lacen – PA), os quais testaram positivo para Covid-19.

Por se tratarem de pessoas que estiveram no Porto de Itaqui, no litoral do Maranhão, onde há casos confirmados da nova variante, os pacientes estão em isolamento e sendo monitorados. As amostras dos pacientes foram encaminhadas para sequenciamento genético no Instituto Evandro Chagas (IEC), para confirmar ou descartar a nova variante.

Por Tina DeBord – com informações da Agência Pará