Pará

Governo do Estado vai ampliar rede de fibra ótica em todo o Pará

O Governo do Estado começa dar os primeiros passos no projeto de expansão de mais 1.500 km de rede de fibra ótica que vai conectar e melhorar a qualidade da …

O Governo do Estado começa dar os primeiros passos no projeto de expansão de mais 1.500 km de rede de fibra ótica que vai conectar e melhorar a qualidade da internet em diversos municípios paraenses. Na manhã desta terça-feira, 31, o governador Simão Jatene se reuniu com o diretor geral da Rede Nacional de Pesquisa (RNP), do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Nelson Simões; e com o General do Exército, Decílio Sales, para discutir parcerias que possam adiantar a efetivação do projeto.

Internet

“A expansão da rede de fibra ótica do Pará é fundamental para a prestação de serviços públicos de qualidade em todos os municípios paraenses”, disse o governador Simão Jatene ao afirmar que essa é uma das prioridades do Governo. Uma fonte de internet segura possibilita, entre outros serviços, a implantação de ensino a distância e o desenvolvimento de tele medicina nos hospitais, além de ser forte atrativo para grandes empresas se instalarem no estado.

“As possibilidades de levar o serviço público para mais perto da população são enormes. Acho essa uma boa aposta e festejo esse tipo de iniciativa. Esse é um desafio que já deveria ter sido posto anteriormente, porque se o século XX foi marcado pela ligação das estradas, o século XXI certamente é marcado pela conectividade”, reiterou Simão Jatene.

O secretário da Sectet, Alex Fiúza de Mello, falou que o Estado está pleiteando uma operação de crédito, junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), para financiar a expansão da rede, mas o processo poderá ser iniciado antes mesmo da liberação do financiamento, através das de parcerias de compartilhamento de estruturas, projetos e recursos.

“Estamos buscando alternativas para antecipar alguns investimentos. O exército e a RNP, por exemplo, têm projetos de investimento nessa área. A nossa ideia é trazer para o projeto quem tem interesse na conectividade e fazer um grande mutirão cooperativo em que cada um entre com uma parte, sai mais barato pra todo mundo, todos participam com investimentos menores e se beneficiam em suas áreas de interesse. Essa expansão é a construção de uma logística importantíssima para o Estado”, explicou Alex Fiúza de Mello, titular da Sectet.

A Rede Nacional de Pesquisa, organização social ligada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, é um dos interessados na parceria com o governo paraense. Com o objetivo de construir conectividade para instituição de ensino superior, e na área da saúde e cultura em todo o país, particularmente no interior do Brasil, a RNP acredita que o projeto do Pará favorece uma parceria para a construção de um conjunto de infovias que propiciem um ambiente colaborativo beneficiando as comunidades.

O diretor geral da RNP, Nelson Simões, contou que a parceria da instituição com o Pará existe há bastante tempo. Ele revelou que Belém foi a primeira capital a receber a Rede Comunitária de Ensino e Pesquisa, presente em 41 cidades. “Se hoje temos 1.200 localidades ligadas à internet, sendo 980 delas com internet em alta velocidade, a gente pode dizer que isso começou aqui. Atualmente temos parceria com a Prodepa em várias cidades”, lembrou Simões que disse ter ficado surpreso com a visão do governador sobre o impacto da rede de fibra ótica no ambiente de educação e pesquisa.

O General do Exército, Decílio Sales, destacou necessidade de adequação de soluções de logística para a implantação da rede de fibra ótica em cidades distantes dos grandes centros urbanos e ofereceu a estrutura física do projeto “Amazônia Conectada”, desenvolvido pelo exército, que utiliza uma rede de fibra ótica subfluvial. Na opinião do presidente da Prodepa, Theo Pires, essa pode ser uma alternativa viável para a expansão da rede em todo o Pará.

Por Dani Filgueiras – Gabinete do Governador

Deixe seu comentário