Governo Darci faz compra de insumos da agricultura para vulneráveis

Semas fechou contrato com a Cooper para aquisição de R$ 32 mil em produtos alimentícios. O valor é suficiente para montar 75 cestas básicas. Parauapebas, porém, tem 7.800 na pindaíba.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Famílias em situação de vulnerabilidade social de Parauapebas vão ser contempladas com a distribuição de alimentos que está sendo organizada pela prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas). Nesta quarta-feira (20), o governo de Darci Lermen publicou no Diário Oficial da União (DOU) uma dispensa de licitação para aquisição de gêneros alimentícios cultivados por produtores rurais e, também, o extrato do contrato para tal finalidade, conforme é possível verificar aqui e aqui . As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu.

Segundo a Prefeitura de Parauapebas, a medida visa alcançar famílias carentes que têm sido afetadas pela pandemia do novo coronavírus. A compra do governo, no valor de R$ 32.612,50, foi feita de forma direta junto à Cooperativa de Produtores Rurais da Região de Carajás (Cooper). Tomando por base o preço médio da cesta básica em Belém no mês de abril, calculado pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em R$ 434,19, o valor disponibilizado pela administração para reparação de reposição e perdas alimentares é suficiente para aquisição de 75 cestas básicas.

Todavia, dados de março do Cadastro Único, do Governo Federal, mostram que existem em Parauapebas, neste momento, 7.796 famílias em situação de pobreza extrema, ou seja, que terão muita dificuldade de assegurar regularmente café, almoço e janta. Esse número é assustadoramente maior que o total de famílias na miséria em janeiro de 2017, exatas 4.702, de acordo com o cadastro. De lá para cá, a extrema pobreza disparou 65% em Parauapebas.

Publicidade