Goianésia do Pará terá nova eleição para prefeito e vice

Por unanimidade os ministros votaram com o relator dos processos, ministro Sérgio Banhos, que pediu o indeferimento do registro de candidatura de Itamar Cardoso e anularam os votos conferidos a ele
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Os eleitores da 103ª Zona Eleitoral, jurisdição do município de Goianésia do Pará, voltarão às urnas em data a ser marcada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) para escolher o novo prefeito e vice-prefeito. A decisão é do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ao rejeitar o registro de candidatura do ex-prefeito Itamar Cardoso (Avante), em julgamento na noite de ontem, 2.

Em sessão virtual do TSE, o plenário julgou improcedente o recurso especial eleitoral e tutela cautelar antecedente propostos pelo ex-prefeito e candidato às eleições majoritárias de 15 de novembro do ano passado, Itamar Cardoso do Nascimento.

“O Plenário considerou que o político não poderia se candidatar ao pleito por estar inelegível por oito anos devido à rejeição de contas por irregularidades insanáveis que configuraram atos dolosos de improbidade administrativa quando ocupava a Prefeitura em gestão anterior. As irregularidades foram detectadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Pará (TCE-PA) em convênios do município. Na ação movida contra Itamar Cardoso, o Ministério Público Eleitoral (MPE) e a coligação Juntos por Goianésia afirmam que ele cometeu irregularidades graves, cujos prejuízos aos cofres públicos alcançaram mais de R$ 3 milhões. No julgamento, o TSE manteve a multa aplicada pelo TRE do Pará ao político”, informa texto do TSE.

Por unanimidade os ministros votaram com o relator dos processos, ministro Sérgio Banhos, que pediu o indeferimento do registro de candidatura, e “anularam os votos para prefeito e vice-prefeito dados à chapa em Goianésia do Pará e determinaram a imediata comunicação ao Tribunal Regional Eleitoral do estado (TRE-PA) para que convoque nova eleição para os cargos na localidade”.

Itamar Cardoso obteve a maioria dos votos 40,17% (6.201 votos). O segundo colocado, o atual prefeito Ribamar Lima sufragou 5.179 votos, ou seja, 33,55%. Esse enfrenta um processo de abuso de poder econômico denunciado pelo Ministério Público Eleitoral. A data da nova eleição será definida pelo Tribunal Regional Eleitoral.

(Antonio Barroso)