GGO começa discutir gestão do TerPaz em Canaã dos Carajás e Parauapebas

Os gestores do Gabinete de Gestão Operacional se reuniram com os governos dos dois municípios para começar a planejar a interiorização do programa. Canaã e Parauapebas irão receber o complexo de cidadania e segurança Usina da Paz, que estão em fase de construção
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Equipe do GGO explana sobre interiorização do programa Territórios pela Paz

Continua depois da publicidade

Equipes que compõe o Gabinete de Gestão Operacional (GGO), da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup,) dentro do programa estadual Territórios pela Paz (TerPaz), começaram, esta semana, a discutir com os governos municipais de Canaã dos Carajás e Parauapebas, na região sudeste do estado, a interiorização do programa. Os dois municípios irão receber, até o final deste ano, o complexo de cidadania e segurança Usina da Paz, que estão em fase de construção.

O GGO está ouvindo demandas dos municípios dentro do processo de interiorização do programa. Segundo o coordenador do Gabinete de Gestão Operacional do TerPaz, Luciano Oliveira, a primeira fase do TerPaz corresponde ao choque operacional, com base no levantamento das áreas e a realização do policiamento ostensivo.

Em seguida, acontece a transversalidade entre os eixos de Segurança Pública e Social, com definição de três vertentes: defesa social, prevenção e repressão qualificada. Ele destaca que esse momento de apresentação do programa para os comandos dos dois municípios é importante para a interiorização das práticas adotadas, que já obtiveram êxito na Região Metropolitana de Belém. “Servirá para que esses gestores possam se apropriar dessa metodologia e apresentar sugestões, para definirmos um plano de trabalho, especialmente voltado e adequado para a realidade de Canaã e Parauapebas”, observou Luciano Oliveira.

A expectativa é implementar o plano no segundo semestre, antes das entregas das obras. “Trabalhamos com a ideia de que quando as Usinas forem inauguradas já estejamos implementando os planos. O ideal é que, com as ações planejadas sendo efetivamente desenvolvidas nas respectivas áreas, as Usinas chegarão com as ações de segurança pública, especialmente, já em pleno desenvolvimento”, acrescentou o coordenador.

Ele detalha que o plano tático e operacional definirá a atuação de cada órgão do sistema de segurança. A elaboração do plano, prevista para agosto próximo, levará em consideração o estudo dos índices de violência do município, da escuta da rede local e dos agentes das forças policiais nos municípios.

Para o 1º tenente PM Rafael Guimarães, do 17º Pelotão Policial Destacado, que atua em Canaã dos Carajás, com vinculação ao 23º Batalhão de Polícia Militar, o trabalho integrado deve trazer grande retorno à região. “Essa articulação do governo do estado trará, sem dúvida, bons resultados em longo, médio e curto prazo”, enfatizou o tenente.

O oficial acrescentou que o momento de escuta das forças locais fortalecerá o plano estratégico tático e operacional. “Nesse momento de escuta, conseguimos aliar os dados à nossa experiência de rua e, assim, articular com maior precisão o apoio para a nossa região. Estamos com grandes expectativas para contribuir bastante com os trabalhos”, destacou Rafael Guimaraes

Para o delegado Thiago Carneiro, superintendente da Polícia Civil Regional Sudeste, responsável por Marabá, Parauapebas e Canaã dos Carajás, que serão contemplados com a Usina da Paz, a explanação sobre o projeto é importante para os dirigentes implementarem seus projetos e, ainda, para alcançar o principal objetivo, que é a redução da criminalidade. “Estamos numa região atípica. A região de Parauapebas tem agravantes, que é o roubo a banco e questões agrárias. Então, com certeza, iremos nos adequar e contribuir para que o projeto dê certo”, enfatiza o delegado.

Na terça-feira (6), pela manhã, o Gabinete de Gestão Operacional, a Câmara Técnica Intersetorial do Programa TerPaz e representantes da administração pública estiveram na sede da Secretaria de Educação Municipal de Canaã dos Carajás para apresentação do programa, destacando a gestão das Usinas e o trabalho da segurança pública. À tarde, houve uma visita às obras da Usina em Canaã, na área central do município, que tem previsão de entrega em dezembro deste ano. Nesta quarta-feira (7), os representantes do GGO estiveram no canteiro de obras da Usina em Parauapebas, com previsão de entrega para setembro próximo.

Tina DeBord