Pará

Galp Bioenergy assina contrato de compra de participação da Petrobras na Belém Bioenergia Brasil, no Pará

Grupo português, que já era sócia da petroleira brasileira, comprometeu-se em pagar R$ 24,7 milhões por 50% das ações na transação; Cade ainda precisa aprovar o negócio

Brasília – Em comunicado ao mercado na quinta-feira (8), o grupo português Galp Bioenergy informou nesta quinta-feira que assinou contrato para a compra da participação de 50% na empresa Belém Bioenergia Brasil (BBB), da subsidiária Petrobras Biocombustíveis (PBIO), controlada pela Petrobras S/A. O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) ainda não deu o aval para a concretização do negócio.

A Belém Bioenergia Brasil (BBB) foi criada em 2011, e é uma empresa produtora de óleo vegetal e biocombustível. Tem sua sede e operações no estado do Pará. Com a venda, a Petrobras dá continuidade ao seu programa de venda de ativos em áreas que não são mais prioritárias.

A Galp é parceira da  Petrobras na exploração em vários campos no pré-sal na Bacia de Santos.

Segundo a estatal, os R$ 24,7 milhões da operação serão retidos pela Galp até dezembro de 2020 para potenciais pagamentos de indenizações. O fechamento do negócio está sujeito ao cumprimento de condições precedentes usuais, tais como aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Programa de venda de ativos

No primeiro semestre do ano, a Petrobras já obteve receita de US$ 15,1 bilhões com a venda de ativos.  No próximo dia 16, a estatal vai receber as propostas dos potenciais compradores da Liquigás, subsidiária responsável pela distribuição de GLP (gás de botijão) no país, um negócio que o mercado estima ser da ordem de R$ 3 bilhões.

Com três séculos de existência, tendo iniciado suas operações em 1846, em Lisboa, a GALP – Petróleos e Gás de Portugal, SGPS, SA tem operações em 11 países espalhados por quatro continentes.

Por Val-André Mutran – correspondente do Blog do Zé Dudu em Brasília.

Deixe seu comentário