Parauapebas

Analisando a eleição em Parauapebas

Uma semana depois do pleito eleitoral, ouvidas algumas lideranças políticas, candidatos e militantes, tentaremos analisar os nomes do município de Parauapebas, traçando uma projeção futura para a eleição mais importante …

Uma semana depois do pleito eleitoral, ouvidas algumas lideranças políticas, candidatos e militantes, tentaremos analisar os nomes do município de Parauapebas, traçando uma projeção futura para a eleição mais importante para a municipalidade, que é a de 2012.

Parauapebas teve apenas um candidato a uma vaga na Câmara Federal. O vereador Massud, do PTB, tendo conseguido pouco mais de 11 mil votos. Para muitos uma ótima votação e a certeza de que Massud conseguiu se cacifar para a disputa municipal. O blogger pensa diferente!

Massud era o único candidato local e tinha a obrigação de levantar pelo menos 20% dos votos. É sabido que o vereador é um dos que usam a fraca máquina administrativa para fazer política, tendo centenas de cabos eleitorais fichados na secretaria em poder do partido com o único objetivo de pedir votos e trazer outros tantos em prol do nome dele, tudo pago com o dinheiro do município sob a tutela de Darci Lermen. O número de votos obtidos por Massud, em minha opinião, não dá a ele o direito de se auto-intitular o “salvador da pátria” em 2012, até porque se o atual governo tem problemas, um dos problemas é o PTB e a fome insaciável do vereador.

Bel Mesquita

Já na disputa por uma vaga na ALEPA, a grande decepção foi Bel Mesquita (PMDB). Nem mesmo os seus mais ferrenhos opositores poderiam imaginar que a deputada tivesse uma quantidade tão pequena de votos em Parauapebas. Bel Mesquita passou de imbatível candidata em 2012 a mais uma na disputa, que certamente será emocionante. Se houve erros na estratégia de Bel Mesquita, um deles pode ser creditado à sua assessoria local que manteve a candidata longe do eleitor e não soube esclarecer pontos negativos cruciais imputados a ela ao longo da campanha, além de não ver refletido nas urnas as parcerias com candidatos de outras localidades. Como exemplo, o candidato peemedebista a federal Asdrúbal Bentes teve em Parauapebas praticamente a mesma quantidade de votos que a deputada, todavia, em Marabá, onde Asdrúbal foi o campeão de votos, Bel ficou com míseros 500 votos. Para a deputada é hora de lamber as feridas, rever conceitos e traçar estratégias para 2012. Em política tudo pode acontecer, descartar Bel Mesquita a esta altura do campeonato é um erro que, mesmo os mais inflamados cientistas políticos alegando sua morte prematura para a política, não me parece o certo. Bel tem carisma, tem aptidão política, coragem pra enfrentar as adversidades e não deve ser desqualificada para 2012 em hipótese alguma. A palavra de ordem para Bel doravante é reestruturação.

Milton Zimmer

A eleição de Milton Zimmer (PT) foi, em política, o que podemos dizer de força do recurso eleitoral. Vinculado à uma administração desastrosa, a assessoria de Milton buscou acordos fora do município e de lá os trouxe em número suficientes para bancar sua eleição. Ora, todos sabem que Parauapebas é a galinha dos ovos de ouro do Pará, os políticos também sabem e por esse motivo buscaram em Milton Zimmer, o parceiro ideal para consolidar parcerias fora das bases. Trazendo a eleição do petista para o âmbito municipal, Milton no futuro, se inteligente for, deverá participar apenas como coadjuvante, fortalecendo sua figura de líder partidário e apoiando de fato o candidato escolhido pelo partido, caso contrário, poderá receber o mesmo tratamento que seu mentor recebeu no palanque do bairro da Paz. A palavra de ordem para MZ doravante é ponderação.

Valmir da Integral

Com pouco mais de 11 mil votos em Parauapebas, Valmir da Integral voltou a ser a bola da vez no município. Depois de uma desastrosa participação em 2008, onde a indecisão política lhe custou a humilhação e o descarte, Valmir deu a volta por cima contando com o apoio maciço do PDT, partido que já mostrou sua identidade política local elegendo o jovem até então desconhecido Adelson Fernandes como vereador mais votado nas eleições de 2004 e o reelegendo em 2008. A unidade em torno do nome de Sr. Valmir rendeu-lhe fichas suficientes para traçar voos mais altos em 2012. A consolidação dessa trajetória rumo ao Morro dos Ventos certamente passará por alianças políticas que Sr. Valmir já demonstrou não ter habilidade para compor. Se bem assessorado e conseguindo manter o PDT unido, é um candidato de grande potencial. Tem pela frente a discussão administrativa: manter ou não o partido aliado ao governo petista que tentará derrubar em 2012 é o principal e mais importante item da longa pauta que levará Sr. Valmir ao êxito em 2012. A palavra de ordem para Sr. Valmir doravante é afirmação.

Rui Hidelbrando

Depois de pouco mais de 1.000 votos em 2008, Vassourinha viu esses números multiplicarem-se e projetá-lo politicamente em Parauapebas.  Os números foram aquém dos estimados pelo candidato e pelos cientistas de plantão, todavia, foram bons. Em minha opinião o jovem Rui Hidelbrando deve tentar voos mais suscetíveis em 2012, manter a bola à uma altura que possa alcançar e ir se projetando aos poucos. Uma vaga na Câmara Municipal já seria um bom trampolim para o candidato que tem o peso da juventude a seu favor. Sua eleição certamente passará por uma melhor escolha do discurso, o simples fato de ser maranhense me parece não ter mais vez em uma campanha municipal. A rica campanha colocada nas ruas pelo candidato Vassourinha deixou de orelha em pé candidatos e eleitores. Explicar de onde veio o dinheiro e quais compromissos o candidato assumiu com os patrocinadores para o futuro são fatos que Rui terá que conviver em um breve futuro. A palavra de ordem para Rui Hidelbrando doravante é cautela.

Faisal

O blogger, em hipótese alguma concordou com a candidatura do ex-prefeito, ex-deputado estadual por duas vezes e atual vereador pelo PSDB, Faisal Salmen, para uma vaga na ALEPA. Não que o tucano teria melhor sorte, mas evidentemente obteria uma votação expressiva e reabilitar-se-ia a um projeto mais ambicioso em 2012. Coordenando a campanha de Jatene na região Faisal fez uma campanha muito tímida, limitando-se a passear em um carro de som falando mal da atual administração, da Vale e da deputada Bel Mesquita. A recíproca das urnas foi verdadeira. Faisal é o típico candidato cricri, aquele que todo adversário quer ver bem longe. Usa a sua metralhadora giratória e dispara para todos os lados, acerte em quem acertar. Depois, case acerte o alvo errado se desculpa e pensa que tudo fica bem. Ledo engano, em política o gostoso sabor da vingança é se sempre será, um prato que se come frio. Faisal, com bom trânsito junto ao candidato Janete, pode e deve conseguir uma patente mais elevada na política paraense do que a de simples vereador. A palavra de ordem para Faisal é discurso. Terá que mudar o seu caso ambicione algo mais em Parauapebas.

Os demais candidatos, Cláudio Almeida, Dr. Charles, Dr. Hipólito, Marden, Irmão Benny e Apinagés, entraram no pleito apenas como coadjuvantes. Todos com bom potencial e em minha opinião deverão fazer parceria a Vassourinha em busca de uma vaga na Câmara Municipal em 2012, local de onde poderão se auto-afirmar no contexto político municipal. É certo que muitos cobrarão do blogger as renovações, criticando-me no que toca a novos nomes e no que pesa uma renovação. Ora, Parauapebas não soube ainda criar uma renovada classe política e por hora será essa turma que estará no palanque em 2012. A palavra de ordem para eles é manutenção.

Além desses virtuais candidatos, Coutinho da SEMOB, Odilon Rocha, João Fontana, Magliano e um ou outro comerciante deverão aparecer nesses dois anos que separam a eleição municipal, resta saber qual deles terá bagagem para chegar e quais serão os cavalos paraguaios que servirão de escada para os caciques. Mas esse é outro assunto e voltarei nele em outra oportunidade. Para esses ilustres desconhecidos a palavra de ordem é trabalho.

Não se esqueçam que, 2012 depende exclusivamente do resultado do 2º turno de 2010. Teremos quatro formas diferentes de estudar o contexto político futuro, com Dilma e Ana Julia vitoriosas, com Dilma e Jatene, com Serra e Ana Júlia e finalmente com Serra e Jatene. Isso pesará bastante no futuro e no dia 31 pense nisso quando for votar.

[ad code=5 align=center]

11 comentários em “Analisando a eleição em Parauapebas

  1. Anonimo Responder

    esse junior é uma comedia mesmo, só por que deve ter um candidato que nunca foi eleito nem pra presidente de bairro, fica fazendo comentários inúteis, vai estudar um pouco mais sobre política, ai talvez você ira aprender que não é por que um candidato dono de uma empresa bastante respeitada em Parauapebas chamada integral (que nem é ele que administra essa empresa, e sim uns 2 ou 3 pessoas), ira administrar uma cidade como Parauapebas, se fosse eleito seria talvez até pior que o Darci, deixando a prefeitura nas mãos de secretários e assessores sem competência. Se liga!!!

  2. Vicente Reis Responder

    Em verdade, há pouco o que comemorar para os políticos locais, exceto para Valmir da Integral, que ano passado foi eleito empresário do ano no Estado do Pará e esse ano sagrou-se campeão de votos locais e colocou, definitivamente, seu nome como uma grande força política local. Milton, por exemplo, teve mais votos fora da cidade que dentro dela (dá o que pensar, não?).

    Bel Mesquita viu seus votos minguarem da eleição passada para esta e pôs em cheque sua tão falada liderança de “Mãe de Parauapebas”. Pelo jeito, seus “filhos” cresceram e estão fazendo suas próprias escolhas…

    Faisal foi, talvez, a maior decepção (mas não necessariamente uma surpresa) desta eleição, perdendo inclusive para o folclórico ‘Vassourinha’, que aliás, foi muito bem neste pleito, considerando-se o tom da sua campanha. Quando eu digo folclórico, refiro-me ao gosto duvidoso de usar apelidos. Particularmente, não gosto de apelidos em políticos sérios. O último caso de político que ficou famoso com um apelido, foi o ‘Caçador de Marajás’ e vocês viram no que deu. Sim, tem o ‘Tiririca’ agora, mas quanto a esse, prefiro nem comentar.

    No mais, parece-me que os políticos e aspirantes a políticos locais estão baseando suas ações em uma velha tática de se mostrar em uma eleição para serem lembrados em outra, no caso, 2012. Mas é bom saberem que, apesar de ser uma tática válida, é arriscada, pois nem toda lembrança é boa e dependendo dos números do candidato, isso pode ser um ‘tiro-no-pé’.

    Mas no geral, percebe-se uma sutil mudança no quadro político local. Se para melhor ou para pior, só o tempo dirá.

  3. Justo Responder

    A minha analise é a seguinte:
    O Valmir é um candidato chapa branca, de parte do governo atual. Como se falou que o Massud a secretaria para obter e buscar votos.

    Vejam, e vamos ser verdadeiros,o Valmir usou a secretaria da saúde,que é medíucre com toda sua estrutura, o DMTT com toda sua ganância, o Detran com toda sua ruindade, mas tem também recursos de outras formas, a Camara de vereadores, pois é presididada pelo PDT, e que é maior que muitos municipios em arrecadação.
    Então vejamos senhores ele foi ou não foi um candidato apoiado por parte desse governo corrupto, e que não querem perder espaço nem a teta, e estão levando o velho Valmir, se dizendo coisa nova e ludibriando alguns empresários de bem e parte da população, eles estão dentro do governo e falam mau, mas não largam o osso, podem até largar agora para passar outra mensagem.

    Mas é isso que esta acontecendo Zé, o VAlmir é uma farsa, uma enganação. É só ver de onde veio o apoio.
    As secretarias, órgãos e governo são muito maiores do que a quem deu apoio a Massud. Os valores gastos aqui na cidade do Valmir foram próximos ao Milton.
    Pode crer e anotem isso.

  4. anonimo Responder

    Vejo que a tentativa de indução de votos para o futuro ainda é muito prematuro, pois tem muita estrada pela frente meu caro. Suas considerações são apenas suas, mas avalie as dificuldades dos outros candidatos e recursos e olhe o desempenho de cada um. Tem gente aí que veio com muita coragem e ao meu ver se saiu muito bem do que aqueles que já estão no cenário de nossa cidade.
    O Sr. Valmir contou com o apoio do presidente da Câmara, A saúde, o DMTT e os votos da campanha passada, se não tivesse votos poderia sair fora:
    O Vassorinha me lembrou o TIRIRICA teve votos pelo próprio descaso que a política está para o povão e teve alguns empresários que entraram com grana só para detonar o Milton;
    A Bel e o Faisal estão a mais de 12 anos na política e tem seus fãs de carteirinha e olha que a Bel colocou grana nesse jogo heim……
    O Milton além de ter a máquina na mão teve uma estrutura monstra mas aqui no Peba não dá mais, ninguém mais se engana com ele;
    O Claudio esse pode parar pois vem de longa data na política e teve estrutura e teve menos votos aqui do que o Dr. Charles;
    O dr. Hipólito tinha pouca estrutura e pelo que seu blog informou ele teve mais de 1.100 votos foi muito bem e também encarou essa eleição;
    O Dr. Charles entrou com vontade mas teve votos que ninguém acreditava que ele teria pela primeira vez, sem estrutura foi muito bem pois ninguém o conhecia direito;
    O Mardem teve aqui 366 votos foi pouco mas tentou lutar mas não teve apoio e nem recursos para poder se mostrar mais;
    O Apinagés teve 453 votos só com uma placa escrita a mão livre, isso vi com meus próprios olhos, esse sim foi muito bem pois conseguiu fazer seus votos aparecerem só na cara e na coragem, se analisar bem esse foi o que se saiu melhor;
    O Toinzinho não sabemos quantos votos ele teve mas pelo que fiquei sabendo falou poucas e boas pro Darci em uma reunião e pór isso pagou caro por ser verdadeiro; Irmão Beny esse fez sua promoção e conseguiu mostrar que é um cara persistente e vai continuar tentando,mas foi bem também.
    Agora sobre essas pessoas novatas que pretende ser algo mas não tem voto é uma incógnita, pois nem testaram seu nome e o povo não compra produto sem ver.
    Agora o Massud esse pra mim não teve votos pra se cacifar a nada, a não ser pra vereador novamente, pois faça o seguinte, pegue os votos que ele teve e divida por 6 e vc terá o resultado que realmente ele teria porque ele correu sozinho aqui e o povo mesmo assim não quis votar nele, porque…..
    Bem é isso e um grande abraço a todos e vamos rezar para que Deus possa nos permitir estar vivos até 2012 e ver essa batalha que será de tirar picapau do oco.

  5. Manasses Responder

    Apolitica em parauapebas está cada vez pior. Muita demagogia e o que interessa mesmo, quanto vou levar no final do mandato.

    OS bons da para se conta com os dedos de uma mão só!!!

  6. junior Responder

    não era mais do q o seu dever o massud tirar esse votinhos aki na cidade, pq so ele de deputado federal por aki. nao adianta ele comemorar pq se ele tivesse saido a deputado estadual ele estaria disputando com claudio almeida, tinha tirado pouco menos q 3 mil votos. e ainda tem mais segundo informações zacarias esta querendo sair pra prefeito em 2012. Ali vai ser outro q vai disputar com claudio almeida, massud, e vassourinha pra qual vai ficar em ultimo lugar. esses q eu citei tem q tentar pra vereador pq a disputa pra prefeito sera milton, bel, valmir e quem sabe faisal. e no meu ver essa disputa vai provavelmente ficara pra valmir pq a população quer renovar, essas mesmas caras ja estao abusadas.

Deixe seu comentário