Notícias

Flexa Ribeiro acusa governo de suspender obras no Pará

O senador tucano Flexa Ribeiro denunciou ontem, na tribuna do Senado, a paralisação de importantes obras e projetos que afetam diretamente o Estado do Pará. De acordo com o senador, …

O senador tucano Flexa Ribeiro denunciou ontem, na tribuna do Senado, a paralisação de importantes obras e projetos que afetam diretamente o Estado do Pará. De acordo com o senador, estão suspensas pela própria presidente Dilma Rousseff, até segunda ordem, as obras da Hidrovia do Tocantins, o Porto de Marabá, o trecho Norte da Ferrovia Norte-Sul e os estudos para a implantação da Hidrovia do Tapajós-Teles-Pires-Juruena.

Na tribuna do Senado, o senador paraense pediu que a chefe do Executivo reveja a decisão e retome os procedimentos para execução das obras. Um dos pontos mais urgentes seria a obra de derrocagem do rio Tocantins, que já estava com estudo de viabilidade e projetos prontos, bastando a homologação do edital – também já realizado – para que as obras fossem iniciadas.

“Sem qualquer explicação do critério adotado, a presidenta ordenou que tudo fosse suspenso. Mesmo todas elas (as obras) constando do PAC.”, afirmou o senador. De acordo com Flexa Ribeiro, as eclusas de Tucuruí, inauguradas em novembro pelo ex-presidente Lula, também ainda não foram colocadas em funcionamento. “Esse complexo só pode cumprir o objetivo em que foi concebido se forem feitas as obras de derrocagem. Da forma como está, o Pará perde duas vezes e os grandes investimentos privados que Marabá tanto espera ficam mais distantes. Essa suspensão pode gerar efeitos extremamente negativos para a área econômica e principalmente a social, uma vez que muitos empregos podem deixar de ser gerados”, afirmou o senador.

A derrocagem é basicamente o procedimento de retirada de rochas submersas no leito do rio que impedem a plena navegação. Sem a retirada, a navegação só é possível em apenas oito meses do ano. Nos outros quatro, fica impraticável navegar ao longo do Tocantins. “Isto é algo, obviamente, altamente prejudicial e que impossibilita qualquer atividade industrial e econômica na região do sudeste do Estado, mais especificamente em Marabá”, destacou Flexa Ribeiro.

O Ministério dos Transportes não retornou a solicitação de confirmação feita ontem pelo DIÁRIO.

O QUE ESTARIA SUSPENSO
Hidrovia do Tocantins, o Porto de Marabá, o trecho Norte da ferrovia Norte-Sul e os estudos para a implantação da Hidrovia do Tapajós-Teles-Pires-Juruena estariam suspensos por Dilma.

Fonte: Diário do Pará

Deixe seu comentário