Fiscais do ICMBio apreendem e flagram pesca ilegal em reserva

Pescadores foram pegos com materiais de pesca e 40 quilos de pescado. Tudo foi confiscado e o peixe, distribuído a pessoas carentes
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Após receber várias denúncias, agentes do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade), sob o comando do chefe do Parque Nacional dos Campos Ferruginosos, Manoel Delvo Bezerra dos Santos, montaram campana para fiscalizar a atividade predatória na unidade de conservação localizada entre os municípios de Parauapebas e Canaã dos Carajás. Eles acabaram flagrando grupos de pescadores praticando a atividade ilegal naquela região.

 “Nós realizamos uma atividade fiscalizatória, porque estávamos recebendo muitas denúncias de pesca predatória no interior do parque. Foram feitas três abordagens e os pescadores ainda não tinham entrado na área, não tinham pescado ainda, estavam com os materiais, os quais foram recolhidos e devolvidos posteriormente com algumas orientações relacionadas ao parque e às proibições que a unidade prevê”, relatou o analista ambiental.

Nas abordagens seguintes os fiscais conseguiram apreender aproximadamente 40 quilos de peixe das espécies: piau, curimatã, surubim, pacu, piranha, acará e bagre, entre outros. A pesca no Parque Nacional é proibida para pescadores profissionais e amadores que não integram as comunidades tradicionais (indígenas, ribeirinhos e quilombolas).

Além do material apreendido, os fiscais também confiscaram, uma espingarda cartucheira municiada, um barco e materiais considerados ilegais para a atividade no interior da unidade. Os quatro pescadores, que eram de Parauapebas, foram autuados em flagrante.

“O Parque Nacional dos Campos Ferruginosos é uma Unidade de Conservação de proteção integral, não permite uso direto dos recursos. Então, a pesca é proibida, a exceção são comunidades tradicionais. Autuamos quatro pescadores que estavam retornando da atividade, e tinham aproximadamente 40 quilos de peixes em caixas de isopor. Eles usavam rede malhadeira e uma espingarda cartucheira com 12 cartuchos intactos. O barco foi apreendido assim como todos os apetrechos de pesca”, contou.

Os peixes apreendidos foram encaminhados para a Agência de Desenvolvimento Econômico e Social de Canaã dos Carajás. Em seguida foram distribuídos entre a comunidade carente.

f499ea77-66d1-44cf-97b4-08f547a41754

Publicidade