Falha de disjuntor na subestação Xingu, no Pará, provoca “perturbação” no Sistema Interligado Nacional e doze Estados ficam sem energia

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Em Marabá foi apenas uma queda tarde desta quarta-feira (21), mas em 12 Estados do Norte e do Nordeste e centenas de cidades aconteceu um blecaute causado pelo desligamento de aproximadamente 18 mil megawatts, majoritariamente localizados nas regiões Norte e Nordeste, correspondendo a 22,5% da carga total do Sistema Interligado Nacional – SIN  – naquele momento.

Parauapebas também ficou sem energia elétrica entre 15h e 17h30.

Além do Pará, ficaram sem energia elétrica Alagoas, Sergipe, Ceará, Paraíba, Piauí, Pernambuco, Amapá, Rio Grande do Norte, Maranhão, Bahia e Tocantins.

Em nota, Operador Nacional do Sistema Elétrico informou que uma “’perturbação’ no Sistema Interligado Nacional (SIN), ocorrido às 15h48, foi o que causou o apagão sentido em diversos estados, inclusive no Pará e no município de Marabá”.

A nota diz ainda que, em consequência da perda de carga, entrou em funcionamento o primeiro estágio do Esquema Regional de Alívio de Carga do Sistema Sul, Sudeste e Centro-Oeste, com corte automático de consumidores, no montante de 4.200MW, assim, os sistemas Sul, Sudeste e Centro-Oeste ficaram desconectados do Norte e Nordeste.  O Operador Nacional do Sistema Elétrico afirma que às 16h15 já havia sido realizada a recomposição de praticamente toda a carga no Sul, Sudeste e Centro-Oeste e as equipes estão neste  momento ainda dedicadas à recomposição dos sistemas Norte e Nordeste, já em curso. As causas de desligamento ainda estão sendo investigadas.

Em Carajás, a energia elétrica fornecida à Vale oscilou durante toda a tarde e as operações da mineradora na região foram paralisadas até por volta das 18h20, quando o sistema foi totalmente restabelecido. No Núcleo Urbano de Carajás, na Serra dos Carajás, a energia voltou às residências às 17 horas.

Belo Monte

O deputado federal José Carlos Aleluia (DEM-BA), ex-presidente da Chesf, subsidiária da Eletrobras, disse no Twitter que o desligamento foi causado por uma “falha nos testes” da linha de transmissão que escoa a energia da hidrelétrica de Belo Monte, no Pará. Operador Nacional do Sistema Elétrico não comentou a declaração do deputado.

Nota à imprensa

No início da noite, o Operador Nacional do Sistema Elétrico emitiu nota complementar informando a causa do apagão, Confira a nota:

Às 15h48 do dia 21/03/2018 ocorreu uma falha de um disjuntor na subestação Xingu, no Pará. Em consequência, houve o desligamento automático de diversas linhas de transmissão em 500 kV, componentes dos troncos de interligação Norte/Nordeste/Centro-Oeste, Tucuruí/Manaus, Tucuruí/Vila do Conde, Elo cc 800 kV Xingu/Estreito e da UTE Belo Monte, entre outros, acarretando uma redução total de carga no SIN, da ordem de 18.000 MW.

Em todas as capitais da Região Norte e Nordeste do país ocorreu interrupção do suprimento de energia elétrica

A frequência nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste atingiu 58,5 Hz, levando à atuação do Esquema Regional de Alívio de Carga (ERAC) desligando 3.200 MW nas regiões Sudeste/Centro-Oeste e 1.200 MW na região Sul. As cargas interrompidas nessas regiões foram rapidamente restabelecidas, em cerca de 20 minutos.

Na região Norte, foram desligadas as capitais Manaus, Macapá, Belém, São Luiz e Palmas.

Na usina hidrelétrica de Tucuruí nove unidades geradoras continuaram sincronizadas, atendendo cerca de 500 MW de carga no Pará e Maranhão.

O processo de recomposição do sistema Norte ocorreu da seguinte forma:

Cidade                    Início da recomposição         Tomada de carga
Macapá                   16h59                                               17h30
Belém                      16h21                                               16h49
São Luiz                  16h59                                               17h10
Palmas                    16h58                                               17h33
Manaus                   16h15                                               16h44

O processo de recomposição do sistema Nordeste foi mais lento. Às 18h55 esta era a situação da recomposição no Nordeste:

Fortaleza: 55% da carga religada
Teresina: 50% da carga religada
Recife: 50% da carga religada
João Pessoa: 15% da carga religada
Maceió: 20% da carga religada
Salvador: 30% da carga religada
Aracaju: 25% da carga religada
Natal: 20% da carga religada

A carta total recomposta nesse horário era de 5.600MW, o que representa 50% da carga prevista do Nordeste.

O processo de recomposição do Nordeste segue em curso.

A reunião com as empresas envolvidas na análise da perturbação será realizada até a próxima segunda-feira, no ONS, no Rio de Janeiro.

Novas informações poderão ser disponibilizadas a qualquer momento.

Assessoria de Imprensa
Operador Nacional do Sistema Elétrico

Publicidade