Envolvido em morte de um PM em Belém, preso em Parauapebas, deve ser transferido para Belém

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

imageA Polícia Civil deve transferir, ainda esta semana, para Belém, Jeferson Henrique Furtado Martins, vulgarmente conhecido por GG, preso no último domingo (3), em Parauapebas, no sudeste do Pará, acusado de envolvimento no latrocínio do soldado da Polícia Militar Carlos Alberto Damasceno Saldanha. A vítima foi morta durante assalto, na noite de 30 de julho deste ano, na Rodovia Augusto Montenegro, na capital paraense.

O outro envolvido no crime, Murilo Robson da Luz Souza, 21 anos, foi preso na quinta-feira passada, no conjunto Jardim Sevilha, em Belém. Jeferson está com mandado de prisão decretado pela Justiça em Belém. O delegado Rodrigo Paggi, titular da Seccional Urbana de Parauapebas, explica que a prisão de Jeferson Henrique foi feita durante operação conjunta das polícias Civil e Militar. Ele foi localizado no momento em que tentava fugir da cidade, com um revólver calibre 44 com quatro munições.

imageOs policiais receberam informações preliminares de que o procurado estava hospedado em um hotel na cidade. Após investigações, Jeferson foi abordado, em via pública. Ele estava no hotel junto com a mãe. Ele estava há dois meses no município, onde tentava estabelecer residência. Por ter sido preso com um revólver ilegal, explica o delegado Rodrigo Paggi, de Parauapebas, o preso foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma de fogo. Como responde a um processo por um crime mais grave (latrocínio), o delegado vai requerer à Justiça de Parauapebas autorização de transferência do preso para Belém.

Segundo o delegado Gilvandro Furtado, diretor da Divisão de Homicídios, responsável pelas investigações da morte do militar, o crime foi cometido por Murilo Souza e por Jeferson Henrique, que abordaram a vítima depois que ela deixou um caixa eletrônico, do qual sacou uma quantia em dinheiro. Carlos Alberto, que estava de folga, reagiu ao assalto e foi baleado, morrendo depois no Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência, em Ananindeua.

Ainda segundo Gilvandro Furtado, a equipe policial já tinha informações de que Jeferson Henrique estava foragido em Parauapebas. A divulgação da foto dele, por meio da imprensa, na semana passada, depois da prisão de Murilo Souza, foi fundamental para localizá-lo.

Relacionados