Entrevista: Iara Braga, prefeita de Eldorado do Carajás

Em longa entrevista, a prefeita afirma: "Meu partido é o povo de Eldorado. Quem me ajudar a cuidar dele terá o meu apoio"
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

“O município de Eldorado do Carajás precisa deixar de ser conhecido apenas pelo infeliz episódio da Curva do S, ocorrido em 1996”. É o que pensa e é para o que trabalha a prefeita Iara Braga Miranda (PSD). Para ela, a cidade deve e ainda vai ficar conhecida por sua potencialidade agrícola na região sudeste do Estado.

Eleita no ano passado com 8.420 votos, 54,99% da preferência do eleitorado, essa goiana de Anápolis, que chegou com a família à cidade há 25 anos, ainda adolescente, afirma que, desarmados os palanques eleitorais, seu partido é o povo. “O meu partido é o povo de Eldorado. Quem me ajudar a cuidar dele terá o meu apoio”, disse ela em entrevista concedida com exclusividade ao Blog do Zé Dudu.

Filha de agricultores, Iara, mesmo sem saber que um dia iria assumir a grande reponsabilidade de tentar mudar o futuro de uma população, se preparou para a missão: estudou Serviço Social, Filosofia, Pedagogia e Contabilidade. Mãe de duas filhas, uma seis e outra de oito anos, abraçou a profissão de professora e, em 2008, concorreu a uma vaga na Câmara Municipal de Eldorado. Como ela mesmo lembra, entrou na disputa para fazer número, a fim de completar a cota de mulheres candidatas, mas não foi eleita.

Eleição veio da insatisfação com o governo passado

Porém, de 2009 a 2012, foi secretária de Assistência Social do município e acabou se envolvendo muito com esse importante setor da administração pública. Ajudou a desenvolver relevantes trabalhos com entidades como a Apae, Astec, Gavião Guerreiro e Asdur (Associação Solidária de Desenvolvimento Urbano e Rural).

Em 2015 o grupo político do qual Iara fazia parte se reorganizou e disse perceber que os dois candidatos, que já despontavam para disputar a prefeitura, no pleito que aconteceria no ano seguinte, não representavam os interesses do povo de Eldorado. “Fizeram um trabalho de convencimento comigo, relutei muito, mas entrei na disputa em 2016”, conta Iara Miranda, que ficou em segundo lugar nas eleições daquele ano, com 4.098 votos ou 27,25% da preferência dos eleitores. “Nossa campanha foi sem barganha, fomos às ruas pedir votos. Mas, não perdi minha a característica e torci por uma boa gestão do candidato vencedor”.

Diante dos resultados apresentados pelo novo governo, em 2018 o grupo que apoiava Iara novamente de reorganizou e decidiu que, em 2020, ela seria mais uma vez candidata. Dessa vez deu certo.

Sem transição e com inúmeros problemas

“Fui eleita sem promessas nem dívidas financeiras. Mas com muitas dívidas de gratidão, o que representa um peso muito maior”, destaca a prefeita, lembrando que enfrentou a máquina administrativa, nas mãos do prefeito que disputava a reeleição.

Após ter sido eleita, Iara Braga Miranda nem sequer teve direito a uma transição. Ao assumir, encontrou a prefeitura vazia, sem informações das quais pudesse dispor sobre a administração municipal. “Só deixaram dois aditivos a contratos, mas não deixaram os contratos. E dois convênios mínimos, um com o MDS (Ministério do Desenvolvimento Social), para a aquisição de dois carros, e um com o Estado”, lembra.

“Temos um município para ser reconstruído. Administrar um município sem recursos requer muita habilidade, inteligência e esforços redobrados. São 25 assentamentos, 5.518 famílias assentadas e um total de 3 mil km de vicinais e pontes”, enumera a prefeita, observando que as últimas enchentes levaram pontes e bueiros. Ela descreve Eldorado como uma cidade sem estrutura alguma, sem iluminação pública, ruas esburacadas e sem hospital municipal, cujo prédio foi demolido no governo passado: “São desafios muito grandes, vamos em busca de novas empresas, vamos deixar de ser o primo pobre da região em pouco tempo. Temos um comércio forte que movimenta a cidade, mas precisamos fortalecer isso”.

Foco na produção agrícola

A prefeita conta que, em 2016, na primeira campanha da qual participou ao Executivo Municipal, visitou o laticínio da cidade e, naquela época, a indústria de beneficiamento locais recebia diariamente 200 mil litros de leite. Mas lamenta, ao contar que no ano passado, novamente em campanha e no mesmo laticínio, constatou que a produção caiu para 110 mil litros por dia. “Isso é muito ruim, se temos como potencial a produção leiteira, isso deveria ser incentivado, mas nunca houve essa preocupação. Já procuramos a Embrapa, o Sindicato dos Produtores Rurais, a Auto Genética, o Laticínio e o Estado para mudar isso”, afirma a prefeita.

Ela também cita outros pontos fortes da agricultura do município como a produção cacaueira, a produção de farinha, a mandiocultura e a apicultura. “A Casa do Mel só vem decaindo, eles perderam recursos para a produção do entreposto, para a verticalização. O município é agrícola, estamos fortalecendo a Secretaria de Agricultura, com mais técnicos, vamos ajudar a aumentar a produção do leite, investir na produção do cacau, da mandiocultura e do mel”, promete.

Saúde precisa de reestruturação total

No setor da Saúde, a prefeita de Eldorado diz querer resgatar o Hospital Municipal, cujo prédio foi demolido e hoje funciona em um local alugado, mas que não é apropriado para servir de casa de saúde. “Estivemos com o governo do Estado, que assumiu o compromisso de liberar R$ 3 milhões para a construção da primeira etapa. Já estamos nos alinhando com os técnicos da Sespa e, em maio entregaremos o projeto, para formalizar o convênio e iniciar a construção”, anunciou a prefeita.

Iara Braga Miranda informa ainda que a prefeitura está reformando e reestruturando todas as UBS (Unidades Básicas de Saúde), que encontrou totalmente deterioradas. Conforme Nota Técnica, o município deveria ter hoje 16 UBS, mas só conta com cinco, e nenhum consultório odontológico. “Deveríamos ter também, 99 ACS (Agentes Comunitários de Saúde), mas só temos 76. Isso representa 23 empregos a menos”, lamenta a prefeita, acrescentando que até a Secretaria de Saúde funciona num prédio sucateado. “Nessa época de covid-19 abrimos uma ala para os doentes acometidos pelo vírus e encontramos duas caixas de medicamentos vencidos enquanto pessoas estavam morrendo de doença”, conta a prefeita.

Educação terá escolas reformadas e a volta da merenda

A prefeita de Eldorado afirma que as últimas gestões não prestaram contas dos recursos de alimentação escolar. Por isso, tiveram as contas reprovadas o que motivou o não envio do recurso da merenda ao município. “Estamos montando processos e enviando ao FNDE (Fundo Nacional do Desenvolvimento Escolar), provando que que a irresponsabilidade não é da atual administração e solicitando que o município volte a ser contemplado”, detalhou Iara Miranda.

Segundo ela, isso é apenas um exemplo, entre tantos outros da área da Educação, que sofreram prejuízos. Anunciou que está montando o cronograma de reforma de todas as escolas, cujos prédios estão sucateados, pois só passaram por uma reforma de faz de conta.

A gestora municipal anunciou também que Eldorado do Carajás vai ganhar seu primeiro curso superior, por meio do Programa Forma Pará, resultante de uma parceria entre o governo do Estado e a Unifesspa: o curso de Engenharia Civil. Para conseguir essa conquista, ela se reuniu com a Reitoria da Unifesspa, foi a Brasília e, com a ajuda do deputado federal Joaquim Passarinho (PSD/PA), esteve com o ministro da Educação e, por último, para garantir o curso, como a Secretaria de Ciência e Tecnologia do Estado.

Obras aguardam recursos, mas a prefeita já está em busca deles

“A gente não vai ficar sem trabalhar por falta de trabalho, pode ser por falta de recursos, não por falta de trabalho”, disse a prefeita ao se referir a uma das mais importantes pastas da administração, lamentando, porém, a falta de recursos para tantas obras de infraestrutura.

Iara Braga explica que a Secretaria de Obras atende as áreas urbana e rural e diz que está reestruturando a Secretaria de Planejamento do município, com técnicos e tudo o mais: “Já temos de propostas de vários ministérios. Fomos atrás dos nossos deputados e senadores para que destinem recursos a fim de que a gente possa melhorar a nossa infraestrutura”.

A prefeita já conseguiu, com a Eletrobrás, recursos para recuperar a iluminação pública. Cinco ruas e as avenidas de maior movimento serão totalmente iluminadas: “A cidade está no escuro e se torna insegura para a população”, observa.

O município – lembra a prefeita – praticamente sobrevive de transferências federais, mas estas que já vêm carimbadas. Ou seja, para investimentos em áreas específicas. Então, é preciso buscar parcerias com os governos federal e estadual.

Nessa busca, ela já protocolou na Setran a reconstrução de nove pontes e a recuperação das vicinais, o deputado Joaquim Passarinho destinou recurso, via Incra, para a recuperação de estradas vicinais, e o senador Zequinha Marinho (PSC/PA) destinou recursos para ajudar na construção do hospital.

“Estamos batendo nas portas dos demais deputados, batendo em todas as portas, desde o final de fevereiro, em busca dessas estruturas. Eldorado tem despesa maior que a receita e até a folha tem valor acima do permitido. Mas isso se deve à estrutura do município, que é maior que a receita”, explica a prefeita.

Assistência Social, uma paixão de Iara Miranda

A Assistência Social é um capítulo à parte na vida pública da prefeita Iara Braga Miranda. Pode-se dizer mesmo que é uma paixão dela, que, em 2019, foi contratada para criar e programa Gira Renda, em Parauapebas e, mais recentemente o Renda Cidadã para Curionópolis.

Ela diz que criar também um programa de transferência de renda mínima para Eldorado é um sonho, mas, em verdade, espera que no futuro todo o povo de Eldorado esteja empregado e nem precise desse tipo de renda. “Por meio da Defesa Civil do Estado, a prefeitura conseguiu cestas básicas de alimentos e atendeu bastante famílias nos últimos dias. Já se cadastrou no governo Federal para conseguir novas cestas e participou de reunião com as entidades religiosas e produtores que também querem ajudar”, detalha.

A prefeita, entretanto, diz que essas ajudas são coisas emergentes que não melhoram a vida das pessoas. Ela afirma sempre acreditar que não pode deixar um povo dependente de cestas e de pequenas rendas que não mudam a vida deles, não transforma e os torna dependentes.

“Um dos nossos maiores projetos é capacitar, qualificar. Tive contato com a Secretaria de Ciências e Tecnologia do governo do Estado, para trazer ao município um Núcleo de Cursos Profissionalizantes”, afirma a prefeita, explicando que, assim, as empresas que se instalarão na cidade contratarão pessoa do município, em vez de trazer mão de obra de fora.

“A gente sabe, porém, que nem todo mundo quer ir para o mercado de trabalho, então é preciso fortalecer a Assistência Social. As pessoas precisam ter a oportunidade de crescer, de melhorar sua vida de autossustentação. Acho que as pessoas querem ir lá e comprar o que desejam, não o que eu quero dar. Isso é proporcionar dignidade para elas”, argumenta.

Política: relação com o governo do Estado está em construção

No campo político, Iara Miranda diz que está construindo uma relação com o governo do Estado. Afirma que não era da base do governo, foi para o PSD no período da eleição, mas não havia aproximação política com o governo. Porém, as coisas estão mudando: “Já estive com o governador duas vezes, fui muito bem recebida, ele se colocou à disposição para ajudar o município”, comemora ela.

“Acho que todo mundo deve ter um partido, porque é preciso ser filiado a um partido para poder se candidatar; e tem de ter afinidades políticas. Só que eu dependo de quem vai me ajudar a cuidar do meu povo. Fui eleita para cuidar do povo de Eldorado, independentemente de sigla e de ideologia. O meu partido é o povo de Eldorado, quem me ajudar a cuidar dele tem o meu apoio”, afirmou.

Em Brasília a busca por recursos não para

A prefeita afirma que está se articulando em Brasília e, por meio da Sudam, já conseguiu maquinários para a Secretaria de Obras; e iluminação pública com a Eletrobras. Por meio de emendas parlamentares o município vai receber uma ambulância e uma camionete para a Secretaria de Saúde; com verba destinada pelo deputado Hélio Leite (DEM/PA), consegui um aparelho de ultrassom, além de contar ainda com a ajuda dos deputados Cássio Andrade (PSB/PA), Eduardo Costa (PTB/PA) e Joaquim Passarinho (PSD/PA).

“Nosso pessoal do Planejamento está antenado nas propostas abertas, articulando, cadastrando apresentando projetos. Já temos mais convênios encaminhados para execução que as últimas gestões. A gente acredita que em 2022 já tenhamos bastante obras estruturantes”, torce a prefeita.

Trabalhar como se não houvesse reeleição

“A reeleição não deve ser forçada. Se chegar em 2024 e o povo entender que tem de continuar, vamos continuar. Se não for assim temos de respeitar”, disse a prefeita quanto à possibilidade de se candidatar a um novo mandato nas próximas eleições municipais: “Temos de trabalhar como se não houvesse reeleição. Fazendo o que tem de ser feito. Se a gente só pensar em reeleição, a gente só faz o que o povo quer que você faça e não o que tem de fazer.

Então, existem algumas ações impopulares, mas que vão render frutos lá na frente. Se a gente só pensar na reeleição a gente acaba fazendo o que todo mundo já fez a vida inteira e acaba não pensando uma cidade para o futuro”.

Parcerias reforçam a Segurança Pública

Tendo em vista que Eldorado fica no entroncamento de duas importantes rodovias, BR-155 e PA-275, nos últimos dias os índices de assaltos haviam subido muito. Imediatamente, a prefeita buscou parcerias com as polícias Civil e Militar. Como resultado, a cidade passará a ter uma Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM) e, assim, dispor de um efetivo bem maior. A PM também implantou a Ronda Rural, fazendo com que a criminalidade diminuísse.

“Governando com Você”

A prefeita disse entender os anseios da população de Eldorado: “Eles estão agoniados, querendo que as coisas aconteçam. Por mais que a gente tenha avançado em alguns projetos, eles ainda não estão sendo executados. A espera é de muitos anos, mas digo que não percam a esperança. O ano de 2021 não vai ser fácil, mas creio que ainda este ano a gente consiga alavancar fazer com que Eldorado consiga entrar no caminho da prosperidade, sem dificuldades de emprego acredito muito em Eldorado que vai dar certo”.

Para ouvir a população, a prefeita está indo até as comunidades, perguntando sobre o que elas estão precisando, pois recebeu o PPA (Plano Plurianual) da gestão passada, que determina o orçamento próximos quatro anos. Ela diz que o slogan de sua administração “Governando com você” quer dizer exatamente isso. “Quando as pessoas compreendem o que eu estou fazendo, o que tenho de recursos e no que ele deve ser empregado, há menos questionamentos indevidos. Meu desejo era fazer plenárias. A vacina já chegou às pessoas de 60 anos e esperamos poder retomar as atividades presenciais, quando a comunidade vai dizer o que quer e a gente vai fazer esforços a fim de trazer recursos para fazer a obra que eles almejam”.

Sem demagogia

Administradora que não promete o que não pode cumprir, Iara Braga Miranda diz querer o melhor para Eldorado e tem certeza de que o município ainda vivenciará grandes momentos. Ela lembra que, quando secretária de Assistência Social, se envolveu também com a Secretaria de Planejamento e se apropriou de vários conhecimentos, o que fez com que acontecesse a fundação da Apae Eldorado, em 2013.

O resultado desse esforço foi a visita de representantes da Fundação Vale e de uma equipe de Belo Horizonte (MG) para saber como a única entidade no Norte e Nordeste do País conseguiu captar recuso de mais de R$ 1,5 milhão do Pronas (Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência).

Outra categoria que tem recebido a atenção de Iara é a dos idosos, por meio da Asdur, que hoje mantém 208 beneficiários, com atividades remotas e visitas domiciliares. “Estão em construção a parte de academia, piscinas para hidroginástica, cursos, clínica médica e administração e a entidade já adquiriu um ônibus para levar os idosos em casa.

“Desde 2015, a cada ano aumenta o número de idoso, este ano a nossa meta é chegar aos 300. Em 2018, captamos R$ 620 mil do Facebook e da Vale; em 2019, com Itaú e Vale, conseguimos R$ 1,5 milhão e, em 2020, fomos a única entidade do Norte, que conseguiu, com a FIA, R$ 2,51 milhões em recursos para ampliação”, detalha.