Emater capacita agricultores familiares de Itupiranga para incremento da cultura de cacau

O objetivo é a diversificação da produção local - que tem base na bovinocultura de corte e de leite - e a melhoria da atividade cacaueira em até 100%. 
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Pará (Emater) promove, nesta quinta-feira (16) e sexta-feira (17), em Itupiranga, no sudeste paraense, a capacitação em cacauicultura para 20 agricultores familiares do Projeto de Assentamento (PA) Rio da Esquerda, na Comunidade da Vila de São Sebastião. O objetivo é a diversificação da produção local – que tem base na bovinocultura de corte e de leite – e a melhoria da atividade cacaueira em até 100%. 

Na programação serão repassadas técnicas sobre produção de mudas, plantio, adubação, tratos culturais e poda, através de conteúdo teórico e de prática. Além disso, os participantes receberão informações sobre crédito rural, por meio do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). 

De acordo com o chefe do escritório local, Rony Luiz Torquato, o PA Rio da Esquerda, onde vivem cerca de 900 famílias, é assistido pelo por meio das ações de assistência técnica e extensão rural do governo estadual há mais de 20 anos. Este ano, já foram emitidas 20 Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAP´s), documento de acesso às linhas de financiamento para fomento de várias cadeias produtivas. 

Rony Torquato destaca que o interesse pelo cultivo do cacau tem sido crescente. “A capacitação se destina àqueles que querem iniciar a atividade da cultura do cacau, que é atrativa, pois o quilo é comercializado no mercado local a R$ 8,00. E ainda para os que já trabalham com a cacauicultura e querem melhorar o desempenho. Nesse caso, a produtividade sai de 1kg por planta para 2 kg por planta, ou seja, dobra a produção”, explicou Torquato. 

A capacitação é fruto de parceria com a Secretaria de Agricultura de Itupiranga e será ministrada pelos engenheiros agrônomos, Rony Torquato e Walter Willian de Miranda, e, ainda, pelo técnico em agropecuária, Davi de Sousa Miranda, da Emater. O curso será das 8h às 17h, na quinta-feira; e das 9h ao meio-dia, na sexta-feira.