Internet de qualidade é WKVE Liga você ao mundo!

Em Paragominas, madeireiros atiram contra fiscais, policiais e índios

Continua depois da publicidade

Fiscais do Ibama, policiais militares e índios foram alvo de tiros disparados ontem por madeireiros na Terra Indígena Alto Rio Guamá, em Paragominas, no Pará, enquanto faziam a medição de madeira apreendida na área. O ataque foi divulgado pelo Ministério Público Federal no Pará, que pediu reforço policial urgente e alertou a Polícia Federal, a Funai e a Secretaria de Segurança Pública do Pará.

Segundo o MPF, não há notícia de feridos, mas um índio e dois policiais estariam na mata, sem contato: “Há relatos de que os agentes foram rendidos e se encontram perdidos no local. A Funai informou, ao telefone, que os madeireiros retiveram as armas dos agentes. Um indígena está perdido. Solicito, com urgência, o apoio desse Batalhão”, escreveu o procurador da República Gustavo Oliveira, em ofício enviado ao Batalhão de Polícia Ambiental do Pará.

Com informações de O Globo

Comentários ( 2 )

  1. Madeireiros de Nova Esperança do Piriá atacam fiscais do Ibama

    Nova Esperança do Piriá é palco de mais um ataque. É que madeireiros que atuam no município atacaram fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), policiais militares e índios. A Equipe de agentes fazia a retirada de madeira apreendida dentro do território de índios tembé, na Reserva Indígena Alto Rio Guamá, na área localizada dentro do município de Nova Esperança do Piriá. A Reserva indígena fica no limite do Estado do Pará com o Maranhão, em territórios de 6 municípios paraenses: Paragominas, Garrafão do Norte, Santa Luzia do Pará, Nova Esperança do Piriá, Capitão Poço e Cachoeira do Piriá.

    Por imprecisão de informações e pela Reserva abranger vários municípios, foi noticiado que a área onde o do taque teria acontecido ficava dentro do município de Paragominas, quando na verdade, fica em Nova Esperança do Piriá e por madeireiros daquela região. Em nota, o prefeito de Paragominas, Adnan Demachki, afirma que já denunciou várias vezes, através da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, a extração ilegal de madeira na Reserva em terras do “Piriá”. Segundo ele, “madeireiros daquele município entram pelos fundos, em pequena parte da reserva no território de Paragominas”.

    “Entramos em contato com o Ministério Público Federal e colocamos o município de Paragominas a disposição do Ibama no sentido de ceder, se preciso, caminhões para transportar máquinas apreendidas, além de disponibilizar local adequado para guardar bens e máquinas, ônibus para transportar a PM para a estrada que dá acesso à Nova Esperança do Piriá”, afirma Demachki.

    Segundo informações do MPF, a madeira foi apreendida em 2011 depois de ser extraída ilegalmente de dentro da terra Indígena, mas só agora o Ibama pôde fazer cubagem, para posterior retirada. Os policiais e fiscais teriam sido surpreendidos pelos madeireiros, que atiraram contra a equipe. Ainda de acordo com o órgão federal, não há notícia de feridos, mas dois policiais militares e o índio Valdecir Tembé estão desaparecidos.

    Fonte: Ascom PMP e G1

Deixe uma resposta