Em Água Azul, quase R$ 4 milhões vão para bombas de combustíveis

Prefeitura está licitando gasolina e óleo diesel para atender secretarias integrantes da estrutura do Executivo. Somando essa licitação com a da locação de veículos, custo vai a R$ 10 milhões
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Com cerca de 28 mil moradores, Água Azul do Norte está longe de ser um dos municípios mais famosos do Pará por arrecadação fabulosa. Pelo contrário, o Produto Interno Bruto (PIB) do município se sustenta na agropecuária, a maior parte da população vive em área rural e o sonho de tornar-se um grande município minerador, farejando cobre em seu subsolo, ainda não rolou. A prefeitura local, que apresenta receita líquida de R$ 56,3 milhões, vive de repasses constitucionais, aquele dinheiro vindo diretamente de outras esferas de governo, os quais representam três quartos do faturamento municipal.

Ainda assim, o governo municipal está realizando nesta quinta-feira (4) uma senhora licitação, na modalidade de registro de preços, para garantir o abastecimento com gasolina e óleo diesel da frota oficial da prefeitura. As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu e podem ser checadas aqui. O valor orçado para a compra é de R$ 3,76 milhões, o que compromete fração de 6,7% da arrecadação enxuta. É uma considerável quantia.

Estão sendo solicitados 320 mil litros de diesel comum, 280 mil litros de diesel S-10 e 220 mil litros de gasolina comum. Segundo a prefeitura, o combustível é necessário para atender as secretarias integrantes da prefeitura nas ações a que se prestam, garantindo, assim, o deslocamento de servidores e usuários dos serviços públicos custeados pela administração.

No mês passado, a Prefeitura de Água Azul do Norte concluiu uma licitação estimada em R$ 7,87 milhões que tinha como objeto a contratação de uma empresa de locação de caminhões e máquinas pesadas, entre outros veículos, para prestar serviços à Secretaria de Obras. A empresa Talismã ficou responsável por fornecer os veículos, no valor global de R$ 7,14 milhões. Somando-se a licitação de combustíveis com a de locação de veículos, a intenção de gastos públicos pode ultrapassar R$ 10 milhões, o correspondente a uma “facada” de 20% da receita anual. É muito dinheiro.