Duas ótimas notícias para o sudeste paraense

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Foi publicado nesta segunda-feira, 24, o edital de seleção com vistas a contratação de empresa para execução de serviços de manutenção (Conservação/Recuperação) rodoviárias referentes ao Plano Anual de Trabalho e Orçamento – P.A.T.O. na Rodovia BR-155, no Pará, no trecho que liga Redenção à Marabá, subtrecho: Xinguara/Eldorado dos Carajás, do Km 109,80 ao km 250,34, a cargo do DNIT, sob a coordenação da Superintendência Regional DNIT/PA.  Confira os detalhes aqui.

A segunda boa notícia foi dada pelo senador Flexa Ribeiro. Segundo o senador, o edital para a licitação do derrocamento do chamado Pedral do Lourenço já está pronto, mas ainda não foi liberado porque precisa cumprir a formalidade de tramitação pelas diretorias do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).  A licitação vai contratar a empresa que ficará responsável pelas obras do derrocamento do Pedral do Lourenço que impede a navegabilidade da hidrovia do Tocantins. Sem o pedral, a expectativa é de que seja otimizada a utilização das eclusas da Usina de Tucuruí, estimulando dessa forma a chegada de novas empresas e indústrias no Pará, inclusive a implementação da siderúrgica de Marabá. Os recursos estão garantidos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Segundo a Sucursal de Brasília de O Liberal, o projeto original sofreu uma pequena alteração, o volume de derrocamento foi reduzido a um terço para viabilizar a navegação. O edital de licitação está sendo elaborado pela Coordenadoria Geral de Portos Marítimos do Dnit que decidiu incorporar à licitação o licenciamento ambiental. Ou seja, o vencedor do processo licitatório além de executar a obra também vai ser o responsável pela licença ambiental que será analisada pelo Ibama por meio de EIA Rima – que vai verificar os impactos ambientais ou qualquer alteração física, química e biológica ao meio ambiente.

Apesar desse primeiro passo, a obra do Pedral do Lourenço só deve ser iniciada em 2015. “Mesmo com todas essas informações, não deixarei de cobrar nada, nada mesmo, até ver o edital publicado conforme prometeu o diretor do Dnit, ou seja, até final de fevereiro. Estarei aqui na tribuna cobrando todos os prazos”, afirmou Flexa Ribeiro.

Relacionados