Dois são presos com 20 toras de madeira ilegal e documentos falsos

Eles apresentaram licença ambiental fraudulenta até de castanheira na reserva ambiental Sororó-Itacaiunas, em Marabá
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Uma equipe da DECA (Delegacia de Conflitos Agrários) de Marabá prendeu em flagrante delito nesta quarta-feira, dia 8, José Silvério de Oliveira (Zé do Guerra) e Hamilton Debella de Abreu. Eles foram autuados na delegacia pela prática do crime tipificado no art. 40 da Lei dos Crimes Ambientais, por causar dano direto ou indireto à Área de Preservação Permanente. No caso, a Unidade de Conservação Ambiental Sororó-Itacaiunas, que fica localizada no município de Marabá.

A operação foi conduzida pelo delegado Alexandre Nascimento e equipe, que apreenderam 20 toras de madeira, entre elas algumas de castanheira (espécie em extinção), além de uma licença ambiental apresentada fraudulentamente aos policiais no momento da prisão. “Vale destacar que a Delegacia de Conflitos Agrários e Combate aos Crimes Ambientais já investiga a extração ilegal de madeira nessa área de preservação permanente há 6 meses”, revela o delegado.

E com o acatamento da representação pela conversão do flagrante em prisão preventiva, por parte da autoridade judicial, um dos principais responsáveis pelo desmatamento na Unidade de Conservação Ambiental Sororó-Itacaiunas, o Zé do Guerra, está preso.