Discussão pelo WhatsApp tem desfecho trágico em Parauapebas

Motorista culpa colega por ter sido demitido do emprego, os dois batem boca pelo aplicativo e um mata o outro
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print
Diego Egleyser

Continua depois da publicidade

Em Parauapebas, por volta das 20h de ontem, quarta-feira (5), uma discussão que começou pelo aplicativo WhatsApp teve desfecho trágico. O motorista Diego Egleyser Soares de Miranda, 32 anos, matou com um tiro em cima do olho esquerdo o colega Natanael Torquato de Sousa, 42, natural de Poção de Pedra (MA), que morava na rua 24 de Março, Bairro da Paz, onde foi assassinado.

Consta que vítima e assassino trabalhavam como motoristas na mesma empresa e, há cerca de um mês, o empregador demitiu 13 funcionários, entre estes Diego Miranda. Dias depois, num grupo de WhatsApp, os dois passaram a trocar farpas e, inclusive, ameaças, com Diego acusando Natanael de ter sido responsável por ele ter sido mandado embora do trabalho.

Natanel Torqauto de Souza – a vítima

Na noite do crime ambos discutiram novamente pelo aplicativo, dessa vez mais acirradamente, ocasião em que Diego teria dito que iria até a casa de Natanael, a fim de ver se ele era “homem suficiente” para dizer na cara a cara, o que havia dito por mensagem.

Ao chegar de moto à casa de Natanael, que estava amolando uma faca para cortar carne, o acusado o chamou para “acertar as contas” e foi logo sacando de um revólver calibre 32 com o qual disparou um único tiro, atingindo o colega de profissão à altura do supercílio esquerdo.

Natanael foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e foi conduzido ao Hospital Geral, onde teve a morte constatada pelos médicos de plantão. Após o crime o acusado fugiu. Na casa dele a polícia encontrou os documentos pessoais uma munição calibre 32.

(Caetano Silva)

Publicidade