Dide e secretários discutem regimento unificado das escolas de Parauapebas

Encontro abordou instrumentos que regulamentam a vida dos alunos em relação à avaliação escolar e protagonismo das atribuições do secretariado diante de desafios do novo regimento
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Os secretários das escolas da rede pública municipal de Parauapebas estão entre os que mais trabalham no Brasil, e a razão é simples: deparam-se diariamente com situações totalmente atípicas, derivadas do intenso fluxo demográfico de que o município é alvo.

Com cerca de 250 mil habitantes e um novo migrante chegando para morar aqui a cada hora e meia, Parauapebas é a cidade que não “sossega”, comportamento que impõe aos secretários escolares situações desafiadoras porque a todo instante um novo aluno vem transferido — seus pais desembarcaram na cidade atrás de emprego e vão passar uma temporada ou ficar de vez aqui. E muitos estudantes da rede também se mudam para outras cidades, e aí está o secretário correndo para organizar a documentação escolar para que o aluno seja bem recebido na nova escola.

Devido a sua importância no cenário educacional, o secretário precisa estar constantemente atualizado, e para garantir a eficiência das práticas administrativas nas escolas e otimizar a organização documental, o Departamento de Inspeção e Documentação Escolar (Dide) promoveu dois dias de formação — na quinta (9) e na sexta (10) da semana passada — aos profissionais que tomam conta das 72 unidades de ensino da rede municipal.

O Dide é o braço da Secretaria Municipal de Educação (Semed) que zela pela guarda documental tanto dos atuais 48 mil alunos da rede municipal quanto de outros 100 mil que já passaram pelas escolas do município desde a sua fundação, na década de 1980.

De acordo com a coordenadora do departamento, Aldenice Matos, a formação teve por finalidade discutir o novo Regimento Unificado das Escolas Municipais, de maneira a levar os participantes a refletirem, entre outros aspectos, sobre os instrumentos que regulamentam a vida dos alunos em relação à avaliação escolar, bem como acerca do protagonismo e das atribuições da função do secretário escolar diante do novo regimento.

As técnicas Erleide Costa, Delma Alves, Joelma Barros, Juliana Souza, Helena Alves, Olga Carneio, Rosely Rebouças e Rosenilde Carvalho estiveram na linha de frente da formação, compartilhando conhecimentos, experiências ou dando assessoramento à programação, que teve um apetitoso lanche no reencontro presencial entre o Dide e os secretariado da rede, além de música de excelente qualidade ao vivo no auditório da Casa do Aprender.

33% de crescimento em uma década

De acordo com o secretário municipal de Educação, Leal Nunes, formações com essa contribuem para ampliar o conhecimento dos profissionais envolvidos sobre a rede municipal e suas demandas na área de gestão documental, sobretudo no tocante à dinâmica de Parauapebas, que tem assistido ao aumento no número de matrículas na esteira da atual explosão populacional que o município vivencia devido às centenas de ofertas de postos de trabalho que aqui são anunciados diariamente.

“A migração mexe com as bases da prestação dos serviços de educação pública e chega à ponta, ao trabalho do secretário escolar, que tem de se manter atualizado constantemente para recepcionar e organizar a documentação dos alunos que ingressam na nossa rede”, contextualiza Leal, parabenizando o Dide pelo trabalho de atualização do secretariado, que é o motor da atividade burocrática escolar.

O papel de protagonismo do Dide e dos secretários é expresso em números. Em 2010, por exemplo, Parauapebas tinha 56 escolas e 36 mil alunos. Em 2021, já são 72 unidades de ensino e 48 mil estudantes. Em uma década, a população de alunos da rede municipal inchou numericamente 33%, enquanto o total de secretários foi ampliado em apenas 23% para dar conta de toda essa demanda.