Deputado Wandenkolk sai em defesa da Câmara de Marabá em razão dos conflitos com a Mineradora Vale

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

imageO deputado federal Wandenkolk Gonçalves (PSDB – PA) enviou, esta semana, declaração de apoio à Vereadora Vanda (PSD) e à Câmara Municipal de Marabá em razão dos recentes conflitos entre esta representante e a Mineradora Vale.

Na declaração, o deputado Wandenkolk expressa seu apoio e solidariedade à Vereadora Vanda, a qual em defesa da população de marabá e dos interesses do município alega ter sofrido tentativa de represália pessoal. Wandenkolk diz  “a Câmara de Marabá e a vereadora Vanda podem contar com o meu apoio em tudo que for preciso. É inadmissível que uma representante legitimamente eleita pelo povo marabaense sofra quaisquer repreensão, ameaça, represália ou alerta. Pedir mobilização da comunidade para cobrar do Governo Federal, bem como da Vale, a viabilização da Hidrovia Araguaia-Tocantins não é nenhum crime, pelo contrário, é o exercício da democracia e da cidadania.”

O deputado ainda alerta que vivemos em um estado democrático e que empresas privadas não podem se colocar acima dos interesses públicos. “as pessoas acham que o interesse público é o interesse do governo, do estado, do governador, do prefeito. Mas não é, o interesse público é da população que é soberana, mas como não podem todos falar ao mesmo tempo, é representada pelos 21 vereadores da Câmara Municipal de Marabá.” Wandenkolk termina dizendo que a luta pela hidrovia Araguaia-Tocantins é peça-chave no desenvolvimento de Marabá e região, devendo ser objeto de luta, tanto pela Câmara de Marabá, quanto pela sua população.

Entenda o caso

No dia 27 de fevereiro, a vereadora Vanda Américo realizou pronunciamento no qual alertava para a necessidade de se mobilizar a população de Marabá para cobrar do Governo Federal e da Vale do Rio Doce a viabilização da hidrovia Araguaia-Tocantins.

A vereadora subiu à tribuna na terça-feira passada para ler a resposta do diretor de operações logísticas da Vale, Luiz Fernando Landeiro Junior, enviada à ela. A carta afirma que assim como os cidadãos comuns, os políticos estão sujeitos às leis e que discursos como o proferido pela vereadora só traziam instabilidade e incitam o cometimento de crimes.

A vereadora Vanda Américo reagiu afirmando que a carta era uma tentativa de intimidação pessoal à ela e à Câmara Municipal de Marabá, bradando que não seria calada e que atitudes como essas dariam impulso em sua luta pela população marabaense. 

Publicidade