Decon fecha pontos de venda de gás clandestinos em Parauapebas

Mais de 150 botijões de gás foram apreendidos e os proprietários levados à Delegacia de Polícia Civil
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Uma equipe da Delegacia do Consumidor (Decon), da Polícia Civil do Pará, encontra-se em Parauapebas onde fiscaliza pontos de venda de gás liquefeito de petróleo, o gás de cozinha. Sob o comando do delegado Aurélio Paiva, oito policiais percorreram na manhã desta quarta-feira (27), 12 dessas vendas e, em pelo menos seis delas, houve apreensão de 158 botijões, entre abastecidos e vazios.

O delegado explica que, para que funcionem na legalidade, os proprietários desses comércios devem portar uma série de licenças e laudos de fiscalização. “A maioria não tem vistoria do Corpo de Bombeiros, da prefeitura, Delegacia de Polícia Administrativa e da ANP (Agência Nacional do Petróleo). 90% não têm nenhum desses requisitos”, afirmou ele.

Flagrados, os proprietários desses estabelecimentos são conduzidos até a Delegacia de Polícia Civil, onde são atuados por crime contra o consumidor, por estar colocando a vida deste em risco, e os botijões são apreendidos.

O delegado explica que os vendedores regulares fazem parte de um sindicato, por meio do qual identificam as vendas clandestinas e comunicam à polícia, solicitando uma vistoria. “Eles estão colocando em risco iminente a vida das pessoas e isso é passível de prisão e de multa”, afirmou o delegado, lembrando que, em Belém, já houve explosão de botijão de gás em depósito clandestino, com vítima fatal.

(Caetano Silva)

Publicidade