Pará

Criação da Universidade do Xingu é prioridade para o senador Zequinha Marinho

Com sede em Altamira, a nova instituição de ensino atenderá a formação profissional superior de 15 municípios da Transamazônica, bem como regiões do Xingu e do Tapajós

O relatório do senador Zequinha Marinho (PSC-PA), que avaliza a imediata criação da Universidade Federal do Xingu, será examinado e votado na próxima reunião deliberativa da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado Federal. Com sede no município de Altamira, a nova instituição de ensino está sendo pensada para atender à demanda por qualificação profissional de 15 municípios das regiões da Transamazônica, bem como cidades localizadas às margens dos rios Xingu e Tapajós.

No relatório, o senador Zequinha destaca o papel da nova universidade para a produção de conhecimento como forma de transformar a realidade local, impulsionando o desenvolvimento da região.

“Não se pode pensar o desenvolvimento de uma região sem pensar na implantação de uma universidade, de um centro que produza e dissemine conhecimento, ajudando a pensar e transformar a realidade a partir das potencialidades presentes na região. Este é o papel da universidade e que traz impactos diretos na vida social e econômica da população”, argumenta o senador.

Além da sede em Altamira, a Universidade Federal do Xingu deverá oferecer cursos de ensino superior para os habitantes de Anapú, Aveiro, Brasil Novo, Gurupá, Itaituba, Jacareacanga, Medicilândia, Novo Progresso, Pacajá, Placas, Porto de Moz, Senador José Porfírio, Uruará e Vitória do Xingu.

Demanda

Os 15 municípios compreendem uma população de mais de 513 mil habitantes, porém, de acordo com o levantamento referente ao ano de 2018, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são baixos os números da educação na região: 118 mil matrículas no ensino fundamental e apenas 21 mil no ensino médio, sendo menor ainda o número de pessoas que chegam à universidade. “Entendemos que existe a necessidade de se fazer uma verdadeira revolução, a começar pela educação, especialmente da juventude daquela região”, justificou Zequinha.

No último mês de agosto, o grupo de prefeitos da Associação dos Municípios do Consórcio Belo Monte (ACBM), sob a liderança do prefeito de Porto de Moz, Berg Campos, entregou uma pauta com algumas demandas da região. Entre as solicitações, os prefeitos destacaram a implantação da Universidade Federal do Xingu.

Se aprovado na CAE, o projeto para a criação da nova universidade segue para a Comissão de Educação, onde terá deliberação terminativa. Isto é, não precisa ser votado no Plenário do Senado. Com a aprovação nesta última comissão, a matéria vai direto para a Câmara onde será apreciada pelos deputados federais.

Reportagem: Val-André Mutran – Correspondente do Blog do Zé Dudu, em Brasília

Deixe seu comentário