Covid-19: Justiça confisca R$ 2,18 milhões de Helder Barbalho e de outras 10 pessoas

De acordo com decisão, há suspeitas de desvio de dinheiro na compra de bombas de infusão na pandemia.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

A Justiça do Pará bloqueou R$ 2,18 milhões das contas de Hélder Barbalho (MDB) e de outras 10 pessoas, suspeitas de desvios de dinheiro público na compra de bombas de infusão na pandemia. O Governador foi denunciado pela Procuradoria Geral de Justiça.

De acordo com a ação, Helder teria realizado a contratação de 1.600 bombas de infusão, que custam cerca de R$ 8,4 milhões. O Ministério Público alegou que houve direcionamento para a empresa SKN do Brasil Importação e Exportação de Eletrônicos Ltda. A empresa é a mesma que vendeu respiradores ao governo no ano passado, que resultou num inquérito contra o governador.

O Ministério Público Estadual havia também solicitado o afastamento de Helder e a quebra do sigilo bancário dos réus, mas a juíza Marisa Belini de Oliveira, da 3ª Vara de Fazenda de Belém, indeferiu o pedido. Na decisão, a juíza falou em gravidade dos fatos e ordenou o confisco dos bens, imóveis, contas bancárias e veículos de Hélder Barbalho e dos demais réus.

Nas redes sociais, o Governador disse que está “tranquilo e à disposição para qualquer esclarecimento que se faça necessário”. Disse ainda que agiu “a tempo de evitar danos ao erário público, já que os recursos foram devolvidos aos cofres do estado”. A defesa de Helder já recorreu da decisão.