Marabá

Com ponte fechada, Marabá vai ficar 25 dias com caos no trânsito

Por Ulisses Pompeu – Marabá As intermináveis obras da duplicação de um trecho de 5,9 km na área urbana da Rodovia BR-230, popularmente conhecida como Transamazônica, estão deixando o condutor …

Por Ulisses Pompeu – Marabá
As intermináveis obras da duplicação de um trecho de 5,9 km na área urbana da Rodovia BR-230, popularmente conhecida como Transamazônica, estão deixando o condutor marabaense irritado. Trata-se da principal via de acesso aos três maiores núcleos habitacionais da cidade. Nesta quarta-feira, a cidade amanheceu com filas de veículos que chegam a 5 km e o condutor gasta mais de uma hora para conseguir transpor o engarrafamento porque a empresa responsável pelas obras fechou uma ponte inaugurada há cerca de um ano para reparar defeitos na pavimentação.

Ponte antiga congestionada e ponte nova fechada para o tráfegoO trânsito está fluindo somente pela ponte antiga, de 506 metros, e em dois sentidos. O resultado são engarrafamentos gigantescos que chegam a cerca de três quilômetros em qualquer horário e não só nos de pico.

Segundo o supervisor regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), engenheiro Enilson Rocha, a interrupção em pleno dia útil era necessária para não causar maior desassossego à população mais adiante. “É melhor fazer agora, do que ter um problema maior mais tarde. Sabemos das reclamações da população e isso também nos preocupa muito. Porém, não dava mais para adiar. Entretanto é um serviço rápido e logo o trânsito na ponte volta a ficar normal”, afirma Enilson.

Questionado sobre o motivo de a ponte, apesar de nova, já estar apresentado rachaduras, Rocha explicou que se trata de trincas no revestimento, causadas pelo excesso de calor e pelo tráfego de veículos pesados. “Como o revestimento não foi feito de asfalto, que é um material plástico, e sim de concreto, começou a trincar em alguns pontos, mas isso, de forma alguma, compromete a estrutura da ponte”, ressalta ele.

Indagado se esses reparos iriam absorver mais recursos financeiros, Enilson Rocha disse que de forma alguma há alteração no orçamento, pois esse tipo de reparo faz parte da obra: “Em nada aumenta os custos”.

Ponte nova já foi fechada porque apresentava defeitosSobre o prazo final das obras, antes anunciado para o fim deste mês, Rocha informou que, devido solicitação da Prefeitura de Marabá ao Dnit, em Brasília (DF), justificada pelo inverno e outras paralisações por diversos motivos, foi concedida prorrogação até setembro. O supervisor regional do Dnit, entretanto afirma que 95% da duplicação está concluída.

“Só está faltando a conclusão das muretas de proteção, outros serviços de acabamento e algumas obras complementares. Até setembro, esperamos estar com tudo concluído”, anuncia ele.

Enquanto o conserto não termina, os condutores ficam cada vez mais irritados por terem de amargar mais de uma hora presos aos engarrafamentos, quando o trânsito fica muito lento devido ao volume de carros na ponte antiga.

A empresária Magda Alves diz que a situação está muito estressante, mas espera que melhore e até se arrisca a filosofar: “Para ficar bom. primeiro tem de ficar ruim”. Segundo ela, pior não dá para ficar, já chegou ao limite: “Temos de acreditar que agora vai melhorar, pensar positivamente”.

A Prefeitura de Marabá disse em nota que, visando à finalização da obra de duplicação do trecho urbano da Rodovia Transamazônica, o problema no trânsito permanecerá por 25 dias.

“Desta vez, os veículos que trafegarem da Marabá Pioneira rumo ao Núcleo Cidade Nova terão de seguir pela pista da lateral direita, sentido Nova Marabá, até o primeiro retorno, que fica em frente à Volvo. São cerca de 2,5 quilômetros”, explica a prefeitura, por meio de sua Assessoria de Comunicação.

Ainda de acordo com o comunicado, a mudança no trânsito é necessária devido à terraplenagem e pavimentação que será feita desde a pista do bambuzal, na entrada da Velha Marabá, até as duas pontes do rio Itacaiúnas, as quais receberão reparos e pavimentação.

3 comentários em “Com ponte fechada, Marabá vai ficar 25 dias com caos no trânsito

  1. Nome (obrigatório) Responder

    Eu gostaria de ver póstada aque aquela famosa foto da inauguração da ponte, onde aparesem alegri e sorridentes o: prefeito Maurino, o vice Nagilsom, e a verriadora Julia Rosa.

  2. Cezar Responder

    Como disse o cara aí, essa obra só vai atender quem está de passagem por Marabá pela BR-230. pra quem trafega entre os nucleos os problemas continuarão os mesmo.
    Sobre a obra na ponte, se fosse em uma cidade que tivesse um gestor, ela nunca seria realizada durante o dia causando tanto transtorno ao transito de uma cidade que beira os 250 mil habitantes!

  3. Capitao Nascimento Responder

    Ze,

    Se nem o asfalto esburacado da ponte velha, para desvio dos veiculos, foi reparado. esta empresa se mostra incompetente na execução desta obra e mais ainda, a solução dada para esta obra parece que nem foi de engenheiro e sim de politico dando pitaco e pondo a colher ali e ali e ali.

    Se fosse em Canaa dos Carajas o juiz de lá já teria mandado prender o prefeito, o diretor do DNIT, o dono da empresa e paralisado a obra.

    Sei que houve supressao em 2 viadutos: um de frente a rodoviaria para beneficiar um supermercado de belem que nunca veio e nem sabe se vai vir e outro antes do shopping prejudicando a fachado do mesmo.

    Pra onde foi este dinheiro eu nao sei, só sei que a obra está ficando feia e antiquada. Imagina que durante a noite a luz do veiculo da outra pista ofusca a visao de quem está em sentido contrario na outra pista.

    Outro detalhe é aquela montanha de aterro onde estao os viadutos. Fala serio, esta obra e a solução dela é arcaica. Nem nos anos 70 se fazia uma obra tao mal feita e sem tecnica com varios erros.

    Tem muita gente inconformada de sair da cidade nova e ter de fazer o retorno a mais de 3km para se chegar no ponto de onde se queria chegar totalizando assim 6km.

    Na verdade a duplicação nao atende a populaçao de Marabá e sim aos veiculos da BR-230. Isto é fato.

Deixe seu comentário