Com garra em campo e cerveja na arquibancada, Águia recebe o Remo neste domingo

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Logo mais, às 17 horas, o Águia de Marabá recebe o Clube do Remo no Estádio Zinho Oliveira, para um duelo que vale muito para o Azulão de Marabá, que precisa vencer para continuar sonhando com classificação para as finais do Campeonato Paraense 2018.

Com o domingo de sol, a expectativa é que o campo não esteja pesado, como aconteceu no jogo contra o Parauapebas, na quinta-feira, na rodada anterior da competição. Após atuar longe de seus domínios durante todo o primeiro turno do Estadual, o que refletiu em uma má campanha, o Águia retornou ao Zinho Oliveira na rodada passada, conquistando uma boa vitória por 2 a 0 sobre o Paragominas. De acordo com o técnico João Galvão, a volta do time à praça esportiva é um dos elementos que ajudarão o Azulão a brigar por uma vaga na semifinal.

“Nosso estádio estava em reforma. Tivemos que atuar em Parauapebas como mandante, e isso nos prejudicou. Aqui o Remo não vai ter vida fácil. Respeitamos, é time grande. Mas aqui a coisa é diferente. Se vencer a partida encostamos na briga e é isso que queremos”, disse.

Ainda de acordo com o treinador, o time não fará mistério e jogará como vem jogando. “Queremos manter a regularidade. Temos um time de jovens, que precisam da sequência”, pontuou o treinador.

Depois de muita badalação ao redor da sua contratação, Givanildo Oliveira, enfim, poderá colocar toda sua experiência em prática à frente da comissão técnica do Clube do Remo, em confronto diante do Águia, às 17h de hoje, no estádio Zinho Oliveira, em Marabá.

Devido ao curto tempo que teve para treinar e se atualizar do grupo, o técnico não deverá alterar a escalação que foi mandada a campo na quarta-feira passada (28), com três atacantes. Contudo, apesar da manutenção na onzena, é esperada uma mudança significativa na postura do time ao longo dos 90 minutos, principalmente pela maneira incisiva de trabalho do Velho Giva, que pretende estrear com o pé direito, a exemplo da maioria de suas passagens anteriores pelo Leão.

CERVEJA E CHOPP

Por outro lado, independente do resultado, a torcida dos dois times têm o que comemorar. Esta semana, um Projeto de Lei aprovado na Câmara Municipal de Marabá permitiu a venda e o consumo de bebidas alcoólicas (exclusivamente cervejas e chopes) no estádio Zinho Oliveira já a partir deste domingo, dia 4 de março. O referido Projeto de Lei é de autoria do vereador Pedro Corrêa Lima, o Pedrinho, presidente da Câmara Municipal, que estendeu o alcance da referida legislação a ginásios e arenas desportivas durante a realização de eventos esportivos no município de Marabá.

De acordo com a Lei Municipal, o fornecedor deverá ser habilitado, mediante obtenção de alvará específico, laudos técnicos da Vigilância Sanitária, do Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar, para poder realizar a venda de bebidas alcoólicas derivadas de cevada, preservando-se o que reza o art. 28 da Lei Federal nº 10.671, de 15 de maio de 2003.

As únicas bebidas alcoólicas que poderão ser vendidas e consumidas em recintos esportivos são a cerveja e o chopp, sendo proibida a venda e o consumo de quaisquer outras espécies de bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas.

A venda deverá ser iniciada duas horas antes de começar a partida, durante os períodos de intervalo das partidas, provas ou equivalentes, encerrando dez minutos após o término do segundo tempo. A venda e o consumo de cerveja somente poderão ser realizadas em copos plásticos, descartáveis, admitindo o uso de copos promocionais de plástico ou de papel e somente em bares, lanchonetes, arquibancadas, camarotes e áreas VIP.

É proibida a venda e a entrega de bebida alcoólica derivada de cevada a pessoas menores de 18 anos, podendo o fornecedor ou pessoa física responsável por tais condutas, responder civil e criminalmente, de acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente.

Por Ulisses Pompeu – Correspondente em Marabá