Cidadão Marabaense será novo ministro da Integração Nacional

Antônio de Pádua se diz sereno e coloca o futuro nas mãos de Deus. Ele deve assumir o cargo na próxima terça-feira
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Atual secretário de Infraestrutura Hídrica do Ministério da Integração Nacional, Antônio de Pádua de Deus será o novo ministro da Integração Nacional, no lugar de Helder Barbalho, que vai se deixar o cargo neste final de semana para concorrer a governador do Pará. Pádua atuou como secretário municipal de Obras de Marabá durante boa parte da gestão de João Salame e só deixou o cargo a convite do próprio Helder, para ocupar cargo importante no Porto de Santos-SP. Ele recebeu o título de Cidadão Marabaense há pouco anos e faz questão de vir a Marabá sempre que tem oportunidade.

Em contato ainda na manhã desta sexta-feira com a Reportagem do blog, por telefone, Pádua disse que está hoje em Belém participando de reunião na SUDAM e que ontem, quinta-feira, cumpriu extensa agenda de inauguração de obras em companhia de Helder Barbalho na região Nordeste.

Pádua 3

Aconselhado pela Casa Civil da Presidência, ainda hoje à noite deve retornar a Brasília, onde deverá ficar todo o final de semana aguardando instruções para ser empossado no cargo, o que vai depender da agenda de Temer.

Evangélico, membro da Assembleia de Deus, Antônio de Pádua diz que “temos de honrar a porta que Deus abre e fazer o nosso melhor. Os desafios são enormes, mas vamos encará-los de frente. A minha maneira de trabalhar não vai mudar. Temos 1.853 obras em andamento no Brasil inteiro e vamos dar prosseguimento a todas elas”, garantiu.

Além de engenheiro civil, Antônio de Pádua é engenheiro de produção e mestre em Segurança do Trabalho. Foi dele a ideia de trazer para Marabá verba para ajudar a construir muro de arrimo e cais no Rio Itacaiunas para frear a erosão, cujas obras serão iniciadas no verão deste ano.

Ele é natural de Campo Maior-PI e foi o engenheiro responsável pela duplicação do perímetro urbano da BR-230 (Rodovia Transamazônica) em Marabá, durante o governo de Maurino Magalhães, a serviço da CMT Engenharia. A empresa foi responsável pela duplicação da pista, construção da segunda ponte sobre o Rio Itacaiúnas e dos vários viadutos existentes no trajeto duplicado. E foi essa obra que o credenciou a assumir o cargo de secretário de Obras de Marabá em 2013.

Por Ulisses Pompeu