Ciclista sofre batida por trás, “levanta voo” e morre ao bater em carroceria de caminhão

O condutor que causou a morte do pedreiro Raimundo Ferreira de Almeida nem sequer parou para prestar socorro à vítima. Seguiu em alta velocidade, como se nada tivesse acontecido
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
A bicicleta da qual Raimundo foi arremessado

Continua depois da publicidade

Raimundo Ferreira de Almeida, 54 anos

No início da manhã deste sábado (7), por volta das 6h30, o pedreiro Raimundo Ferreira de Almeida, 54 anos, morreu vítima do condutor de um carro preto que, segundo testemunhas, trafegava em alta velocidade pela Avenida Liberdade, rumo ao Bairro Novo Paraíso.

O pedreiro pedalava sua bicicleta pela mesma via e no mesmo sentido do carro, quando o veículo bateu por trás da pequena e frágil condução. Raimundo foi arremessado para o alto e, na descida, caiu de encontro à carroceria de um caminhão estacionado no acostamento.

O ciclista morreu ali mesmo, instantaneamente, e o condutor, cujo carro não foi identificado, seguiu em alta velocidade. Tudo aconteceu tão rapidamente que as testemunhas não conseguiram identificar marca, modelo nem placas do carro, do qual só se sabe a cor: preta. (Caetano Silva)