Carta Aberta dos funcionários do Incra do Sul do Pará à população

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Bom dia Zé Dudu,

Trabalho no Setor de Engenharia no INCRA/SR-27/Marabá-PA. Peço-lhe a gentileza que coloque no seu Blog a aludida carta, na íntegra, mostrando a insatisfação dos servidores do INCRA/Marabá, para que a comunidade no modo geral tenha conhecimento da audácia dos coronéis e coronélas do "PT – Partido dos Traidores", pelo mero interesse em colocar as suas ou a seus bonecos de FANTOCHES, para simplesmente acomandá-los e fazerem o que eles bem quiserem: usurpando, surrupiando, metendo a mão literalmente no dinheiro público, fazendo CAIXA 2 para gastarem na campanha de 2010 e enriquecerem ilicitamente. Aliás a senhora Rosinete já assumiu, sem ter nem um perfil técnico para assumir um cargo de alta relevância, e o pior de tudo, pra manusear a bagatela de um Orçamento pra este ano de 225 Milhões de Reais. Muito interessante, você não acha? 

CARTA ABERTA À SOCIEDADE

A Superintendência Regional do INCRA do Sul do Pará (INCRA-SR/27), com sede em Marabá, conta com um total de 206 servidores, atendendo mais de 68.000 famílias em 492 projetos de assentamento, distribuídos em 38 municípios.

Trata-se de uma Autarquia de vital importância para a realização da Reforma Agrária, cujo conjunto de políticas tem amenizado as desigualdades geradoras de miséria e consequentemente promovendo o desenvolvimento da região Sul e Sudeste do Pará.

Cientes dessa importância, os servidores reuniram-se no dia 02 de fevereiro de 2010 e vêm a público expressar sua posição e descontentamento com os recentes fatos veiculados na mídia, envolvendo disputas acirradas de parlamentares pelo direito de decidir quem indica o novo Superintendente desta Regional.

Esclarecemos que não houve consulta aos servidores sobre o tema em questão. Nem sequer foram apontados os critérios utilizados na indicação dos nomes à Superintendência.

Mais uma vez os servidores foram pegos de surpresa, demonstrando que a realidade ao longo destes anos é o simples revezamento da cadeira entre pessoas que se utilizam desta prerrogativa para galgarem vagas no parlamento.

O descaso dos gestores com o órgão e a Reforma Agrária é evidenciado por metas absurdas, ausência de planejamento, falta de estrutura e condições de trabalho para execução das atividades.

Os servidores entendem que a relevância da SR 27 reside no papel que esta deve desempenhar no atendimento das reivindicações históricas da luta pela reforma agrária e não para servir de atrativo àqueles que desejam se beneficiar eleitoralmente. O cargo de Superintendente, além do seu caráter político, exige capacidade técnica para sua adequada ocupação, respeitando os princípios da Administração Pública como: eficiência, legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade.

Desse modo, não podemos aceitar passivamente que o cargo de superintendente seja ocupado por pessoa de competência duvidosa e que os servidores sejam os últimos a tomarem conhecimento dos fatos e os primeiros a sofrerem as conseqüências.

Portanto, afirmamos nossa posição pela indicação de um servidor de carreira, com perfil técnico e político, pois entendemos que não é mais possível pensar num futuro para a Reforma Agrária na região sem o comprometimento do Superintendente Regional com o INCRA, seus servidores e a Sociedade.

Marabá, 03 de fevereiro de 2010

Servidores do INCRA/SR-27

Publicidade

Posts relacionados