Carajás já iniciou as rescisões contratuais da maioria dos atletas após paralisação do Parazão

Presidente Luiz Omar Pinheiro é a favor do título ao Paysandu e nenhum time rebaixado
Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on print

Continua depois da publicidade

Com o Campeonato Paraense de Futebol Profissional paralisado, devido a pandemia do novo coronavírus, os clubes que estão participando do chamado Parazão 2020, já começaram a negociar a saída de alguns jogadores de seus elencos. O Carajás Esporte Clube, da Ilha do Outeiro, foi o primeiro time a iniciar as rescisões contratuais dos jogadores, principalmente aqueles que foram contratados de fora do estado, sendo que alguns deles já receberam o que tinham direito e retornaram as suas cidades de origem.

“O Carajás estava em dia com seus profissionais e seus funcionários. Já tinham recebido o mês de janeiro e o mês de fevereiro e iriam receber no dia 15 de março, a quinzena, porque o Carajás vinha pagando quinzenalmente. Nós estávamos rigorosamente em dias com todos os nossos funcionários. Como houve essa paralisação, nós resolvemos fazer rescisão do restante do plantel porque depois do jogo contra o Bragantino a gente já vinha fazendo rescisões”, afirmou Luiz Omar Pinheiro, presidente do Carajás, o chamado “Sheik do Norte”.

A diretoria do Pica-Pau começou a liberar os atletas logo após a derrota para o Bragantino, por 1 a 0, em Outeiro, o que culminou com o rebaixamento do time para a Segundinha do Parazão. Após o anúncio da paralisação do campeonato, o plantel que já tinha poucos atletas, sendo 13 jogadores profissionais e cinco das categorias de base foi completamente desfeito e as atividades no clube suspensas devido ao covid-19. O presidente acredita e não descarta um possível retorno do Parazão.

“O governador tomou as providências que tinham que ser tomadas, a população entendeu e você não ver ninguém na rua. A gente espera que no início ou meados de abril, quando está sendo considerado o pico máximo da situação do coronavírus, o estado do Pará esteja praticamente livre disso e estando livre até acredito que o Campeonato Paraense possa voltar a ser disputado”, disse Luiz Omar Pinheiro.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já suspendeu todas as competições de âmbitos nacionais e sem previsão de data para serem disputadas. Todos os campeonatos estaduais foram suspensos por tempo indeterminado devido ao avanço do covid-19, sendo o último o Campeonato Roraimense, que foi paralisado somente na última sexta-feira (20/03). Se caso o Parazão não voltar a ser disputado, o presidente do Carajás tem uma ideia e poderá sugerir junto a Federação Paraense de Futebol (FPF).

“Se não voltar é melhor o campeonato ser considerado nulo, cancelado. Faz-se ano que vem um campeonato com 12 equipes, sobem duas da Segundinha esse ano, e em 2021 caindo quatro equipes, se quiser continuar com 10, ou caem dois se quiseram continuar com 12. Esse ano não cai ninguém e os quatro primeiros colocados devem ser os representantes do estado do Pará nas competições nacionais e o primeiro colocado, que no caso é o Paysandu, seja proclamado como campeão. Eu não vejo nenhuma aberração nisso”, finalizou Luiz Omar Pinheiro.

Por Fábio Relvas

Publicidade