Câmara de Parauapebas vai comprar quase R$ 500 mil gêneros alimentícios

Diretoria da Casa de Leis mais rica do interior do Pará alega que água mineral, biscoito, café, leite e chá são para atender aos 15 vereadores, 424 colaboradores e, também, aos visitantes.
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

No próximo dia 5 de março, o segundo mais endinheirado parlamento municipal do Pará vai apreciar propostas comerciais para registrar preços de gêneros alimentícios que serão consumidos por visitantes e servidores da Casa de Leis durante o ano de 2021. A Câmara de Parauapebas botou na rua, na última segunda-feira (22), o edital do processo de compras e prevê utilizar até R$ 458 mil com biscoitos, margarina, café, leite em pó, chás e água mineral. As informações foram levantadas pelo Blog do Zé Dudu.

A Câmara de Parauapebas tem hoje 38 unidades administrativas e gabinetes (15 de vereadores e um da Presidência), Diretoria Legislativa, Diretoria Administrativa, Diretoria Financeira, Instituto Legislativo e demais departamentos ligados ao gabinete da Presidência e às diretorias. São 15 vereadores e 424 servidores que circulam pelo prédio para exercer suas atribuições a fim de atender a comunidade, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas. Por isso, segundo a presidência da Casa, faz-se necessário que a administração disponibilize condições básicas, com suprimento de água potável e lanches, para os colaboradores.

Ademais, a Câmara recebe diariamente muitos cidadãos que procuram os serviços oferecidos pelos gabinetes dos vereadores ou que frequentam o prédio às terças-feiras para participarem das sessões legislativas. “Durante as sessões da Câmara, são oferecidos café e água aos cidadãos presentes”, justifica o Legislativo em mensagem que acompanha o edital da licitação.

A Biblioteca Legislativa frequentemente recebe grupos de alunos e apreciadores do acervo bibliográfico da entidade e regularmente a Câmara é utilizada para reuniões das Comissões Permanentes do Legislativo, reuniões dos vereadores com associações da comunidade, audiências públicas ou é feita a cessão do plenário para órgãos públicos e outras entidades realizarem palestras, seminários, conferências e demais eventos de interesse social, o que demanda disponibilização de condições mínimas para conceder água, café e, eventualmente, chá ou lanche, como forma de recepção cortês aos usuários deste ambiente público.

O Blog do Zé Dudu apurou que a Câmara reservou no orçamento deste ano R$ 1 milhão para custear despesas com material de consumo das ações administrativas do Poder Legislativo. A manutenção do Instituto Legislativo vai exigir, prevê-se, outros R$ 160 mil em materiais.