Até quando a sorte acompanhará Valmir Mariano ?

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Foi aberta a temporada de caça aos secretários em Parauapebas. Quem assinou o decreto autorizando foi o próprio prefeito. Aproveitando-se da afiada caneta do juiz Líbio Moura, que de uma vez só, tirou o cargo de cinco vereadores acusados de se locupletarem graças ao erário municipal, Valmir Mariano, na tentativa de mudar a relação desgastada com a Câmara nomeou seu líder de governo na Casa, vereador Zacarias Marques, e a secretária de fazenda, Maria Mendes, interlocutores com o legislativo, o que pode provocar uma reforma geral no staff administrativo do governo Valmir Mariano.

Pelos quatro cantos do Morro dos Ventos que abriga o suntuoso prédio da prefeitura local, o que se ouve é que ninguém está garantido no cargo, nem mesmo o prefeito, se acordos não forem fechados de forma rápida e eficaz.

Especulações de todo cunho são digitadas nas redes sociais minuto a minuto. Fulano foi exonerado. Beltrano vai assumir tal pasta, Ciclano vai mudar de secretaria… Um disse-me-disse que deixa o já politicamente fraco governo Valmir Mariano nas mãos dos aproveitadores de plantão. Uns usam a informação, ou a desinformação, para obter ganhos políticos; outros ganhos financeiros; e há até quem não ganhe nada, mas adora colocar lenha na fogueira pra ver se o fogo fica bonito.

Que mudanças deverão ocorrer isso é público e notório, mas a forma como vem sendo feita mostra, mais uma vez, a inabilidade política do alcaide e que, quando o assunto é o ser humano, ele não tem habilidade alguma. Se não vejamos: já perdi a conta de quantos secretários, assessores diretos e comissionados já foram demitidos por Valmir Mariano. Quantos destes continuam amigos dele? Quantos sequer mantêm algum tipo de relação com o prefeito ou com o governo?

Valmir, no afã de ajeitar politicamente a gestão, pode até ganhar, temporariamente, um aliado ou outro graças às nomeações, mas vem sistematicamente perdendo aqueles que lhe foram fiéis desde a campanha. Não resta dúvida que alguns dos que foram defenestrados pelo alcaide sequer mereciam ter participado da campanha, quiçá do governo, mas, se nomeou, que tenha a hombridade de saber tirar. Alguns desses que saíram foram parceiros de primeira hora e hoje são tratados como inimigos, como culpados da derrocada que o governo vive.

Ainda não se sabe se o prefeito virá disputar a reeleição no ano que vem, mas, até mesmo o mais ingênuo dos mortais sabe que a reeleição de Valmir Mariano, a cada dia, se torna mais difícil e mais complicada. O culpado? Ele próprio! E simplesmente por não ter até o momento aprendido que em política se cisca pra dentro, nunca pra fora. Que em política há de ser observadas as conveniências momentâneas de cada um que fala ao ouvido de quem tem a caneta. Em política é preciso ter alguém em quem confiar para aqueles assuntos de bastidores nem sempre republicanos a que todo político tem que passar, e que essa confiança perpassa por ter ouvir o que não quer e refletir sobre o que escutou.

TrevoTenho dito aqui em meus artigos que o prefeito Valmir Mariano nasceu com aquilo virado pra Lua. A todo momento a sorte lhe tem batido à porta. Na semana passada, por um triz não foi afastado do cargo. Hoje, na sessão da Câmara Municipal de Parauapebas estava tudo organizado para que outro pedido de afastamento estivesse na pauta. Veio a decisão judicial que afastou os cinco vereadores e Valmir ganhou alguns dias. O prefeito tem agora a chance de renegociar tudo que foi negociado e fazer a maioria absoluta na Câmara que lhe dará a governabilidade necessária para terminar o mandato.  Pura sorte!

Outro dia a prefeitura foi invadida pela Polícia Federal, Ministério Público e demais agentes do judiciário. O vereador Odilon, parece que prevendo o que poderia vir contra o governo que defendia. tratou de tornar público sua insatisfação com o “pequeno soldo” que recebia como vereador e isso se tornou manchete nacional. A investigação ao governo Valmir foi adiada e a gestão Josineto passou a ser a bola da vez. Pura sorte, novamente, de Valmir !

Durante a campanha, este blogueiro cansou de falar do quanto seria difícil a relação do prefeito com a vice escolhida por ele em virtude do Massud. Por pura sorte, apesar de ter o suposto apoio de alguns vereadores, a maioria sabe o que seria um governo encabeçado por Ângela, votando contra qualquer orquestração que a conduza ao poder. Pura sorte!

Francis Bret Harte, um escritor americano, disse certa vez : “ A única coisa segura sobre a sorte é que ela mudará.”

Resta saber a que tempo a de Valmir cessará !