Assaltante reage a intervenção policial e tem carreira encerrada a bala

Wanderson Conceição, 26 anos, já vinha cometendo furtos e assaltos havia certo tempo, mas, nas duas últimas semanas, as queixas contra ele aumentaram pela maneira truculenta como ele agia
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Trabalho de investigação da Seção de Inteligência do 23º BPM (Batalhão de Polícia Militar) culminou com a morte de Wanderson Costa Conceição, 26 anos, natural de Buriticupu (MA). Ele foi baleado durante intervenção policial ocorrida por volta das 17h30, desta terça-feira (5), na Rua Matusalém, Bairro Betânia, Parauapebas. Na delegacia a Polícia Militar entregou um revólver calibre 32 e uma faca, segundo a PM, encontradas com Wanderson.

Por volta das 11h30 de segunda-feira (4), Wanderson Costa foi flagrado pelas câmeras de segurança de um estabelecimento comercial da Rua Sol Poente, no Bairro da Paz, realizando um assalto. Ele já estava sendo investigado pela Inteligência do 23º BPM, por ter contra si inúmeras queixas, que se avolumaram nas duas últimas semanas.

Nesta terça-feira, por volta das 17h30, a Inteligência recebeu a informação de que Wanderson Conceição estaria escondido em uma casa abandonada no Bairro Betânia, onde também escondia parte do que furtava e roubava.

Para o local se dirigiram os PMs da Inteligência, do Grupamento Tático Operacional (GTO) e da guarnição que fazia rondas pela área. Ao chegarem à casa indicada, fizeram o cerco e chamaram por Wanderson Costa Conceição, para que ele se entregasse pacificamente, o que não aconteceu. Os policiais foram recebidos com disparos de arma de fogo. A resposta foi dada na mesma medida. Baleado, ele ainda foi removido pelo Samu ao Hospital Municipal, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.        

De acordo com os registros da 23ª Seccional Urbana de Polícia Civil e do Fórum de Justiça de Parauapebas, Wanderson tinha nas costas nada mens que 10 processos por furto e roubo. Esse número, porém, pode ser bem maior, talvez o dobro, haja vista que ele usava, além da legítima, três outras identidades falsas.

Uma das vítimas do assalto de segunda-feira, que pediu para ter a identidade preservada, compareceu ao IML de Parauapebas e reconheceu Wanderson como sendo o homem que assaltou a loja enquanto ela estava lá e também foi vítima do roubo. A mulher contou que ele, de arma em punho e faca na cintura, se dirigiu a ela e exigiu dinheiro e o celular. Como ela não tinha dinheiro, foi xingada e chamada de “burra”, teve o celular arrancado na marra a ainda foi obrigada a desbloquear o aparelho e passar a senha ao assaltante.

Em seguida, dirigiu-se à funcionária do caixa, sempre agindo com muita violência e proferindo palavrões. Depois, promoveu um quebra-quebra no estabelecimento comercial e saiu em uma motocicleta vermelha, que também foi encontrada na casa que lhe servia de esconderijo.

Após a notícia da morte de Wanderson ter se espalhado, algumas de suas vítimas compareceram à DP para recuperar os objetos que lhes haviam sido tirados pelo assaltante, inclusive a motocicleta, que foi resgatada pela dona.

A Reportagem foi informada de que, na mesma rua em que Wanderson Conceição estava escondido, uma pessoa guardava em casa parte dos objetos que ele furtava e roubava. A informação foi confirmada pela polícia, que, no calor da confusão que se formou durante o confronto, não teve tempo de averiguar, mas a PM já está no encalço do suposto comparsa do assaltante morto.

(Caetano Silva)

Publicidade

Relacionados