Analfabetismo foi reduzido à metade em Parauapebas

Continua depois da publicidade

<SAMSUNG DIGITAL CAMERA> Está confirmado e quem diz é o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE): a taxa de analfabetismo em Parauapebas caiu pela metade. Exatamente 50,3% da população maior de 15 anos até então analfabeta, deixou essa condição nos últimos dez anos.

Para chegar a esse número, digno de foguetório, o governo municipal, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed), trabalhou incansavelmente, sobretudo nos últimos sete anos, período em que foram desenvolvidos programas e projetos educacionais que, muito além de alfabetizar, proporcionaram dignidade e cidadania a cada munícipe.

Nesse contexto de números positivos, a figura maior é o professor, e a ele se deve o mérito de tal conquista, numa estatística que põe Parauapebas na condição de um dos municípios mais escolarizado do Pará, dividindo o primeiro lugar com Belém, Ananindeua, Tucuruí, Redenção e Castanhal. Em 2000, o município era o 11º em alfabetização de seus cidadãos.

NÚMEROS
No Censo 2000, o município tinha 16,3% de sua população analfabeta. Hoje, pelos números do Censo 2010, a taxa de analfabetismo é de 8,1%. A maior parte dessa baixa se deu sob a gestão do prefeito Darci Lermen, de 2005 para cá. No final de 2004, a taxa de analfabetismo ainda era de 15,6%.

A fim de reverter tal situação, o governo municipal criou parcerias, as quais viabilizaram a formação de jovens e adultos que não tivessem contato com o mundo do saber escolar. Assim, no decorrer da caminhada, esse trabalho foi sendo reconhecido.

O ano era 2005. Depois de alfabetizar em torno de 150 servidores municipais, Parauapebas foi contemplado com o prêmio “Ouro”, durante a Jornada Nacional de Educação. Naquele ano, também, a atual gestão em parceria com a Fundação Vale dinamizava o Programa Vale Alfabetizar, que sozinho possibilitou que 12 mil pessoas, jovens e adultos, pudessem aprender a ler e a escrever.

A partir de então, foram intensificadas as formações continuadas para professores e coordenadores, e estes vêm fazendo muito mais do que o que sempre esteve ao seu alcance. Em verdade, eles contribuíram para que Parauapebas fosse recordista na conquista do prêmio “Palma de Ouro” (em 2007, 2009 e 2010) e para que a educação abocanhasse o prêmio “Gestor Nota 10” no ano passado. Todos esses méritos têm reconhecimento do Ministério da Educação (MEC).

CONQUISTAS
Ainda assim, a maior das conquistas é saber que a qualidade da educação municipal evolui a cada ano, o que pode ser traduzido pelo Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), cujo indicador – tanto de 1ª a 4ª série, quanto de 5ª a 8ª – está acima das médias do Pará e do Brasil. O município, a saber, antecipou no ano passado a nota que, em tese, era esperada tirar daqui dois anos. Agora, tem o Ideb mais alto do Estado.

Atualmente, com a taxa de alfabetização que detém, Parauapebas é um dos poucos municípios da Amazônia a enquadrar-se em padrão educacional similar à média dos países desenvolvidos. “Temos motivos de sobra para comemorar, uma vez que demos um salto de qualidade na educação nunca antes visto. Esse é um resultado expressivo e que deve ser celebrado por toda a comunidade escolar”, comemora o secretário de Educação, Raimundo Neto.

QUALIDADE
Não à toa, essa qualidade traduz-se em resultados. No ano passado, uma pesquisa encomendada pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan) trouxe o que seria uma espécie de Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) fora de época, antecipando o que o Censo 2010 mostra agora sobre a educação municipal.

Na pesquisa de abrangência nacional da entidade carioca, o Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM) coloca Parauapebas como o mais desenvolvido do Pará, com índice de 0,7825 (o grau vai de 0 a 1; quanto mais próximo de 1, mais desenvolvido é o lugar). Nem o Brasil como um todo – com IFDM de 0,7478 – é tão desenvolvido quanto Parauapebas.

Não obstante, todas as ações que nos últimos sete anos alfabetizaram, e com qualidade, milhares de jovens e adultos são apenas o início. É a partir de agora, com uma empolgação ainda maior, que a batalha de combate ao analfabetismo vai se expandir.

Todos – comunidade escolar e sociedade em geral – estão convocados para tornar Parauapebas uma referência mundial em educação num futuro bem próximo, unindo esforços para chegar ao último dos analfabetos e conduzi-lo ao fantástico universo do conhecimento e do saber, ajudando-o a aprender a ler e escrever com dignidade. Até lá…

Texto: André Santos, foto Rosiere Morais

5 comentários em “Analfabetismo foi reduzido à metade em Parauapebas

  1. Eduardo Responder

    Grande notícia, a outra metade são os políticos analfabetos que estão no governo….cade o professor sabe nada?? me ajuda aí….contratem um prêmiozinho daqueles que compram no sul para dizer que o nobre secretário de educação é o supra sumo do Brasil….kkkkkkkk

  2. foguete Responder

    é impressionante como apenas uma boa noticia faz o ze dudu falar em foguetório. ele está ou não fechado e selado com o darci, o que acham voces?

  3. João Paraense Responder

    Meu nobre, nesses momentos é sempre elegante citar os parceiros que ajudaram a construir essa conquista, e a Vale através do programa Vale Alfabetizar constribuiu bastantes para os resultados aqui apresentados. O nosso secretário de educação Raimundo Neto, não deixa de comentar essa parceria, creio que esse conceituado blog também poderia fazer o mesmo. Grato.

Deixe seu comentário

Posts relacionados

%d blogueiros gostam disto: