Alexandre de Moraes ordena à PF cumprimento de mandados contra o cantor Sérgio Reis, o deputado federal Otoni de Paula e outras 27 pessoas

Ação foi autorizada pelo ministro atendendo a um pedido da PGR
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Pastor evangélico, deputado federal Otoni de Paula e Sérgio Reis cantor e ex-deputado federal

Continua depois da publicidade

Brasília – Agentes da Polícia Federal (PF) saíram as ruas nas primeiras horas desta sexta-feira (20), para cumprir mandados de busca e apreensão expedidos pelo Supremo Tribunal Federal (STF), ordenados pelo ministro Alexandre de Moraes atendendo pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), no DF, em Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Ceará e Paraná. Os alvos são o cantor Sérgio Reis, o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ) e outras 27 pessoas.

A operação ocorre uma semana após a prisão do presidente nacional do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), Roberto Jefferson. Todos os alvos são aliados do presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido).

A investigação está relacionada à promessa de greve nacional de caminhoneiros, feita em áudio e vídeo atribuídos a Sérgio Reis. De acordo com o cantor, aliado do presidente Jair Bolsonaro, o ato seria contra os 11 ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Lideranças dos caminhoneiros afirmam que o artista não os representa.

Ao todo, 29 mandados de busca e apreensão são cumpridos pela PF no âmbito das investigações, abertas na segunda-feira (16). De acordo com a corporação, as diligências são realizadas no Distrito Federal, e nos Estados de Santa Catarina, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Ceará e Paraná.

Agentes da Polícia Federal foram ao menos a quatro endereços no Rio e em Brasília ligados ao cantor sertanejo e ex-deputado federal Sérgio Reis, na casa e no gabinete do deputado federal Otoni de Paula.

“O objetivo das medidas é apurar o eventual cometimento do crime de incitar a população, através das redes sociais, a praticar atos violentos e ameaçadores contra a Democracia, o Estado de Direito e suas Instituições, bem como contra os membros dos Poderes”, afirmou a PF, em nota.

Reportagem: Val-André Mutran – Correspondente do Blog do Zé Dudu em Brasília.