Ainda em busca de reajuste, servidores públicos lotam Câmara Municipal de Canaã dos Carajás

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Canaã dos Carajás vive momentos de tensão desde a última semana. Os servidores públicos municipais estão em greve desde as primeiras horas da manhã desta segunda-feira (19); a principal reivindicação que motivou a paralisação é o reajuste de 31% no salário base. Na noite desta terça-feira (20), mais de 36 horas depois da deflagração da greve, os servidores lotaram mais uma sessão ordinária do legislativo. Os grevistas mantiveram os atos de protesto durante todo o dia, na frente da Câmara e da Prefeitura Municipal.

Na tarde de segunda, o Ministério Público afirmou que a greve tem fundamentação jurídica, desde que os serviços essenciais sejam mantidos. O governo marcou para a próxima sexta-feira (23) uma nova reunião com os sindicatos, para expor a real situação de Canaã e apresentar uma nova proposta. Mais uma vez, os vereadores presentes mostraram apoio à causa dos servidores.

Sheury Barros, presidente do Sindicato dos Servidores, disse que a luta continua: “Já são mais de 36 horas de greve; são 36 horas de luta e prejuízo à sociedade. Nós não estamos lutando só pelos nossos direitos, mas também por melhores condições de trabalho para atender melhor a população. A sociedade deveria fazer o mesmo que os servidores e lutar por seus direitos. Peço ao prefeito que se sensibilize e que se lembre que foi eleito por nós. Nós vamos construir uma história diferente em Canaã dos Carajás.”

sheury barros

Um fato curioso chamou a atenção e causou revolta em alguns vereadores: ao fim da fala da presidente, os centenas de servidores que lotavam a Casa de Leis deram as costas à sessão e foram embora do local. Visivelmente transtornado com o fato, o vereador Baiano do Hospital falou: “Isso é falta de respeito, de consideração, pois o aumento vai ser votado e vai sair dessa casa. Fiquei insatisfeito e vi uma falta de educação desses profissionais que só ficaram presentes até o que interessava a eles. Acompanhem as sessões, acompanhem os trabalhos até o final!”

Maria Pereira (PDT) também comentou o fato: “Eu achei que toda a categoria ouviria os vereadores, mas eles saíram. Mesmo assim, parabenizo todos os sindicatos pela luta pacífica e organizada. Quem paga pela greve são as pessoas que eu estou aqui para representar, é quem não tem dinheiro para pagar um plano de saúde, mas isso não é culpa do servidor. Espero que haja logo um acordo e que a sociedade não pague mais ainda o preço.”

baiano do hospital

A greve deve continuar nesta quarta-feira (21). No momento, o prefeito Jeová Andrade está em viagem a Brasília na busca por recursos e parcerias para o município. O gestor se reuniu na manhã de terça com o ministro de Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho, e com alguns prefeitos de cidades mineradoras do país.

Publicidade

Relacionados