Agricultura: Nova técnica aumenta a eficiência do uso da água na cultura do mamoeiro

O uso racional da água nas áreas irrigadas contribuirá para melhorar o manejo da irrigação em períodos críticos de secas prolongadas
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

Dionei Lima Santos, professor doutor em Engenharia Agrícola do Instituto Federal do Pará (IFPA) – Campus Conceição do Araguaia, e um grupo de pesquisadores de outras instituições de ensino (UFV e UENF) e de pesquisa (Embrapa e Epamig) desenvolveram técnica de manejo de água que proporciona maior eficiência do uso do líquido em áreas irrigadas com a cultura do mamoeiro.

Os pesquisadores destacaram que durante os períodos de baixas vazões dos rios, o uso exagerado da água sem critérios técnicos pelos irrigantes tem contribuído para a redução da disponibilidade deste importante recurso na agricultura, proporcionando geração de conflitos entre os múltiplos setores usuários da água.

Desta forma, a adoção de técnicas de manejo de irrigação que favoreçam o uso racional da água nas áreas irrigadas contribuirá para melhorar o manejo da irrigação em períodos críticos de secas prolongadas, evitando, assim, reduções de produtividade, de emprego, de custos e, consequentemente, elevando a renda dos produtores.

Assim, as estratégias de manejo da irrigação que visem reduzir o consumo hídrico do mamoeiro, sem perder a qualidade e a quantidade dos produtos colhidos, devem ser desenvolvidas, compreendidas e introduzidas nas áreas irrigadas.

Os pesquisadores destacaram em sua pesquisa que, no caso do mamoeiro, é possível reduzir a aplicação de água para cultura em até 35% do volume calculado e manter a produtividade potencial do mamoeiro, com ganho expressivo em relação à eficiência agronômica do uso de água da cultura. Tudo isso é possível por meio da técnica de irrigação por secamento parcial da zona radicular (SPR), também chamada de irrigação lateralmente alternada.

Foi publicada uma Circular Técnica n.º 130 pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária que objetiva apresentar a técnica do secamento parcial da zona radicular como uma estratégia de manejo de irrigação que maximiza o uso racional da água em pomares de mamoeiro.

Essa publicação baseia-se em resultados de pesquisas realizadas no Perímetro Irrigado do Formoso, em Bom Jesus da Lapa, BA, e no Perímetro Irrigado de Jaíba, em Jaíba, MG, em uma parceria da Embrapa Mandioca e Fruticultura com a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), com o Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola da Universidade Federal de Viçosa e com uma colaboração científica com o Setor de Fisiologia Vegetal, da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (UENF).

Participaram da pesquisa os docentes e pesquisadores Dionei Lima Santos, Eugênio Ferreira Coelho, Fernando França da Cunha, Eliemar Campostrini e Polyanna Mara de Oliveira. “O aumento do consumo de água pelos múltiplos usuários e as mudanças climáticas têm contribuído para redução da disponibilidade de recursos hídricos nos perímetros públicos e privados de irrigação. Assim, é preciso desenvolver estratégias de manejo da irrigação que visem reduzir o consumo hídrico das culturas. Com esse trabalho eu pude vivenciar na prática o quanto podemos ser mais eficientes no uso da água na fruticultura irrigada, ou seja, produzir mais utilizando a menor quantidade água possível”, destacou o professor e pesquisador Dionei Santos.

(Fonte: Ascom IFPA-Conceição)