20ª Seccional de Polícia Civil é campeã em cumprimento de mandados de prisão

Segundo o diretor da unidade, delegado Gabriel Henrique Costa, "isso nunca aconteceu em Parauapebas", tantos acusados presos preventivamente
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on print
Imprimir

Continua depois da publicidade

Entre 1º de junho deste ano e esta quinta-feira, 10 de outubro, policiais civis da 20ª Seccional Urbana de Parauapebas já cumpriram 55 mandados de prisão preventiva contra pessoas acusada de vários crimes. Oito desses mandados por violência sexual contra crianças e adolescentes.

Em entrevista exclusiva ao Blog do Zé Dudu, o diretor da 20ª Seccional, delegado Gabriel Henrique Alves Costa, afirma que isso é a constatação de que a Polícia Civil vem realizando um excelente trabalho, que começa com o inquérito policial. O trabalho envolve toda uma investigação, que inclui coleta de provas, depoimentos de testemunhas e outras ações até que o delegado represente à Justiça pela prisão preventiva do acusado.

“Então, se vê que a Polícia Civil vem trabalhando e a conclusão do trabalho é o cumprimento do mandado de prisão, realizando o trabalho na sua íntegra”, reforça o delegado, acrescentando que é “um trabalho muito bem feito pela Polícia Civil, que vem tendo um grande apoio da Polícia Militar”.

“Eu falo isso toda vez que tenho oportunidade, digo que o trabalho não seria tão bom se não tivéssemos esse apoio da PM. E tenho certeza de que quem ganha com isso é a sociedade de Parauapebas. Nós temos ainda que muito que melhorar, mas vemos que o trabalho está sendo feito”, salienta Gabriel Henrique.

 A Polícia Civil em Parauapebas, para ele, está de parabéns, pois os números mostram que a instituição está trabalhando com afinco: “Eu acho que isso nunca aconteceu em Parauapebas, o cumprimento de tantos mandados de prisão. Tenho certeza, baseado em pesquisa, de que nenhuma unidade, dentro da nossa regional tem um número tão elevado assim”, atesta.

Nesses números, destaca o delegado, não estão incluídas as prisões, em cumprimento a mandado de prisão, feitas pela Polícia Militar, que, em várias abordagens, ao pesquisar o nome do suspeito, constata que contra ele há um mandado em aberto e o leva para a delegacia. Se computados esses, o delegado calcula que as prisões podem chegar a cerca de 70.

Segundo o diretor da Seccional, ainda há muitos pedidos de prisão sendo analisados pela Justiça, mas, enquanto os mandados não são expedidos, devido aos trâmites do Judiciário, as equipes já trabalham para localizar os acusados. Alguns mandados, entretanto, não podem ser cumpridos porque os acusados estão em endereço ignorado ou não se encontram mais em Parauapebas.

De acordo com o delegado Gabriel Henrique, 80% dos mandados de prisão preventiva dizem respeito a homicídios, de autoria definida, muitas são de furto e roubo, classificadas como crimes patrimoniais e outros de tráfico de entorpecentes. “Estamos com operações constante em andamento, com alguns mandados a serem cumpridos”, complementa o diretor da 20ª Seccional.

Quanto ao efetivo de que dispõe, o delegado Gabriel Henrique afirma que é “considerado bom em relação a outras cidades da região”. “Temos uma equipe de plantão, que trabalha 24 horas com 72 horas de folga, e dois delegados no expediente: Felipe Oliveira, que cuida de Crimes contra o Patrimônio; e a delegada Yanna de Azevedo, responsável pelo Departamento de Homicídios e cada um tem sua equipe de investigadores e escrivães. Assim como temos a Delegacia Especializada da Mulher, que fica a cargo da delegada Ana Carolina de Abreu. Então, temos duas quatro equipes de delegados plantonistas que fazem o revezamento de 24 horas trabalhadas por 72 de folga”, concluiu ele.

(Caetano Silva)

Relacionados