Dobradinha Leolar-Yamada traz três supermercados a Parauapebas

Por Paulo Costa – de Marabá

Por volta do dia 15 de outubro, o grupo Y.Yamada pretende inaugurar seu primeiro supermercado em Parauapebas numa parceria estabelecida com o Grupo Leolar, conforme anunciado aqui no blog em maio deste ano e reafirmada ontem, segunda-feira, pelos dois empresários durante inauguração da primeira loja no novo modelo em Marabá.

Segundo o presidente da Leolar, Andrey Rocha, as obras de adaptação da primeira das três lojas já começaram em Parauapebas e a ideia é inaugurar o novo centro de compras até 15 de outubro, com supermercado e magazine por parte da Yamada e móveis e eletrodoméstico no espaço da Leolar, podendo os clientes transitarem normalmente de um ambiente para o outro.

Ontem, em Marabá, os diretores da Leolar e Y.Yamada participaram da inauguração da primeira loja no novo formato, com 30 mil itens do grupo belenense em dois pavimentos que somam 6 mil metros quadrados.

Na avaliação de Andrey, a parceria vai agregar mais valor e produtos aos clientes da Leolar, trazendo para Marabá o conceituado Y.Yamada, que possui um grande conhecimento no segmento de supermercado no Estado.

A próxima loja Leolar em Marabá a receber o Y. Yamada é a da Folha 31, ao lado da Prefeitura Municipal, com previsão para inauguração em 13 de setembro. Apenas na primeira loja em que ambas compartilham os espaços, estão sendo gerados mais de 300 postos de trabalho. Na loja da Nova Marabá serão mais 230 funcionários do Yamada, chegando a quase 400 empregos quando somados aos da Leolar.

Fernando Yamada, presidente do grupo de mesmo nome, informou que até o ano que vem pretende abrir quatro lojas em Marabá uma ao lado do Centro de Distribuição, no Bairro Liberdade, e o Yamada Plaza, que está em obras e será a grande referência do grupo, no núcleo Nova Marabá. Também serão abertas lojas no formato da dobradinha entre os dois grupos nos municípios de Canaã dos Carajás, Ourilândia, Redenção, Nova Ipixuna, Jacundá, Goianésia, Breu Branco e Tucuruí.

11 Responses to Dobradinha Leolar-Yamada traz três supermercados a Parauapebas

  1. Cauan Pirí disse:

    Espero que o grupo Leolar, tenha mais respeito para com seus clientes na hora de emitir NOTAS FISCAIS, porque é um ABUSO essa politica de ter que se dirigir a outro setor, esperar fila para receber a NF, quando deveria ser emitidas em seus Pontos de Vendas, no ato da compra, isto é uma forma de sonegar impostos.

  2. hellen marjorye disse:

    Muuuito Bom ! e para ficar melhor… só falta a Leolar trocar o “sistema” dela , pelo da Yamada., Onde tudo é mais prático e rápido, principalmente o crediário.

  3. Luiz disse:

    PRECISA MESMO É ACABAR COM O MONOPOLIO.

  4. vitor disse:

    IMPORTANTE PARA A CIDADE!!!, porém como ficará o transito nas imediações e o estacionamento para quem ira fazer compras? O local já é conturbado pela confluência de bares , restaurantes, lanchonetes, agencias bancarias grandes lojas e vendedores ambulantes etc etc etc!!!! Problemas a vista!!!

  5. NAREAL disse:

    Supermercados com valores absurdos aqui já tem aos montes, e as pessoas comemoram por está chegando MAIS um…
    Obras de Infraestrutura que é bom NINGUÉM quer trazer.
    Isso vai gerar uns 300 empregos aqui em Parauapebas com salários de fome, e as pessoas vão fazer fila por uma vaga.
    O grupo se intitula como “da terra”, mas não investe nos funcionários (cujo o maior sonho é sair da empresa).

  6. João Saldanha disse:

    Yamada, pra quem conhece, é muito careira! Fora que escraviza os funcionários.
    Só quero ver a dor de cabeça pra Yamada com essa mão de obra de quinta categoria que temos aqui na cidade.

  7. Olho Vivo disse:

    Caro Zé Dudu, essa tal parceria inaugurou o primeiro supermercado do Grupo Y. Yamada em Marabá, na última segunda-feira. Estive lá ontem e o que vi são preços altíssimos, que perdem de longe para o Mateus (que também é bem careiro) e outros supermercados da cidade.
    Não há o que comemorar: esses caras vêm de Belém, do Maranhão ou da casa do chapéu tão somente para explorar os trabalhadores e os consumidores daqui. Só querem saber de encher os bolsos; não há nenhuma vantagem para o povo do sul do Pará. É SÓ EXPLORAÇÃO!!!

  8. Cauan Pirí disse:

    Não me importo que seja caro, mas que tenha qualidade! Do que adianta chegar num supermercado, comprar um 1 kg de carne barato mas de procedência duvidosa. Tudo aqui em Parauapebas é absurdamente caro em razão da logística. Os açougues da cidade vende carnes de procedência clandestina, sem fiscalização, sem controle, então se é para vender carne barata e clandestina, não compro. Os supermercados de Parauapebas são muito mal administrados pelos seus proprietários que não respeitam o consumidor, vendem produtos camuflados, trocam datas de validade, por exemplo: Quando o frango da sadia,perdigão, etc. está vencido eles retiram as embalagens e vende no açougue a granel.
    Além do péssimo atendimento que recebemos nestes lugares, funcionários que não recebem treinamento e somos obrigados a comprar por não termos outra opção. Particularmente não confio nesse pessoal de Belém, são pessoas descompromissadas com a ética profissional, aliás quando alguém me fala de algum profissional de Belém, me dar arrepios, prefiro de qualquer outro lugar, menos de Belém. Mas que seja bem vida o grupo Yamada.

    • Elen Paraense com orgulho disse:

      Ao digníssimo Sr. Cauan Pirí, não julgue as pessoas pela aparência e muito menos pelo lugar de onde ela veio. Assim como podem existir pessoas de muito bom caráter, podem existir mais pessoas de má indole como você do lugar de onde você veio, seu verme. A dignidade e o caráter da pessoa não depende de sua decendência, mas sim de sua vivência. Todos nós temos nossa personalidade formada a partir das experiências que sofremos ao longo da vida, e isso independe da localidade. Se temos exemplos bons em casa, com certeza vamos ser ótimas pessoas na vida adulta. Sendo assim posso considerar que sua família, independente de sua origem(Lugar) não tinha hábitos muito aceitos pela sociedade, e só para finalizar tenho dó de seus filhos, se os tiver algum dia, pois tendo uma pessoa como você servindo de exemplo dentro de casa, não passarão de crianças hipócritas e sem o mínimo de respeito pelo próximo.

  9. Francisca da Silva costa disse:

    eu gostaria e muito trabalhar nesse grupo yamada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>