Voz ao leitor

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print

Continua depois da publicidade

TadeuSenhoras e senhores me perdoem a falta de bons modos. Não quero aqui formar opinião a favor ou contra “A” ou “B”, pois essa não é minha índole, nem sou filiado ou fanático político, e sim, quero alertar que ser homem público é unir forças e jamais pensar em interesse de partido ou coligação, mas ver a coletividade que precisa de ações e serviços.

A política tem a sua fonte na perversidade e não na grandeza do espírito humano e nada é tão admirável em política quanto uma memória curta.

Pois é, aproxima-se mais um período eleitoral. Estão aí de volta as mesmas caras, as mesmas promessas e os mesmo métodos de convencimento. As redes sociais vão ser infestadas de denúncias, quase todas verdadeiras, algumas calúnias e um monte de besteiras que vão jogar na lata do lixo os conceitos e princípios sobre ética, moral, caráter, escrúpulo e dignidade.

Mas, por escolha ou omissão, o povo tem o governo que merece. Qual é a Parauapebas que queremos para nós e nossas futuras gerações?

A vida me ensinou a dizer adeus às pessoas que embora respeite ou admire, já deram a sua contribuição, sem tirá-las do meu coração, sorrir para às pessoas que não gostam de mim, para mostrá-las que sou diferente do que elas pensam, calar-me para ouvir, aprender com meus erros, afinal, eu posso ser sempre melhor!

Precisamos revolucionar nossa cidade. Não podemos ficar na dependência eterna da Vale para sermos uma grande metrópole. Precisamos nos reinventar, criar novos projetos, reproduzir novas matrizes, ressuscitar velhas utopias, atrair novos investimentos com ideias audaciosas, planejamento e ousadia.

Fazer de conta que tudo está bem, quando isso não é verdade, não vai colaborar em nada para que avancemos. Para que eu possa acreditar que tudo

vai mudar, eu preciso escancarar novas janelas, não temer o futuro, e lutar contra as injustiças e as desigualdades. A História só se repete enquanto farsa.

Não podemos sorrir quando o que mais desejamos é gritar todas as nossas dores e mazelas para o mundo. Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena acreditar no sonho que se tem. E não se deixe enganar pelos falsos Messias, que a antevéspera do dilúvio vem nos oferecer as tábuas da salvação para construir a nossa arca. Alguns foram os artífices do Titanic, e deu no que deu. O navio afundou.

Lembre-se sempre que um político pensa na próxima eleição; um estadista, na próxima geração.

E é nesse estadista que precisamos mirar. Basta que deixe de idolatrar esses aproveitadores de ocasião, que surgem do nada às vésperas das eleições. Não permita que te comprem a preço algum, jamais permita que te manipulem, pois você tem a capacidade de saber e distinguir tudo aquilo que lhe agrada ou não.

Parafraseando Augusto Cury, diria por fim que “apesar dos nossos defeitos, precisamos enxergar que somos pérolas únicas no teatro da vida e entender que não existem pessoas de sucesso e pessoas fracassadas. O que existem são pessoas que lutam pelos seus sonhos ou desistem deles.”

Pois bem, a escolha do futuro de Parauapebas está em vossas mãos, pense muito antes de cravar o seu voto.

Sebastião Tadeu Ferreira Reis – advogado