Vale oferta bolsas para estudantes indígenas matriculados no ensino superior

No Pará, podem se inscrever estudantes dos povos Parkatêjê, Kyikatêjê e Akrãtikatêjê, da Aldeia Mãe Maria, em Bom Jesus do Tocantins. A seleção levará em conta propostas de projetos que beneficiem as comunidades em que estão inseridos
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on print
Estudantes do povo Parkatêjê podem se inscrever para o projeto piloto

Continua depois da publicidade

A mineradora Vale, em parceria com o Instituto Sociedade População e Natureza (ISPN), lançou edital para concessão de bolsas para estudantes indígenas regularmente matriculados em cursos de graduação em instituições de ensino superior públicas e privadas no Brasil. As bolsas fazem parte do Programa Indígena de Permanência e Oportunidade na Universidade (PIPOU).

No projeto piloto, podem se inscrever estudantes indígenas de relacionamento com a Vale dos povos Parkatêjê, Kyikatêjê e Akrãtikatêjê (TI Mãe Maria – em Bom Jesus do Tocantins, sudeste do Pará), Guajajara (TIs Rio Pindaré e Caru, no Maranhão); Tupiniquim e Guarani (TIs Tupiniquim Guarani, Caieiras Velhas II e Comboios, no Espírito Santo); e Krenak (TI Krenak, em Minas Gerais). As inscrições vão até o dia 10 de setembro e poderão ser feitas no site do ISPN.

O resultado do processo seletivo será divulgado no site do ISPN em 30 de setembro. A ideia é que a iniciativa seja ampliada no próximo ano, contemplando estudantes indígenas de todo o país.

Segundo a Vale, o objetivo é estabelecer estratégias de apoio à permanência da população indígena nas universidades. Nesse primeiro edital, serão disponibilizadas 50 bolsas de estudo, no valor de R$ 1 mil por mês, além de um computador portátil para os alunos que preencherem os critérios estabelecidos.

A seleção dos candidatos será realizada por equipe técnica da Vale e do ISPN, além de especialistas na área da educação. Um dos principais critérios da seletiva será a proposição de projetos que tragam benefícios às comunidades indígenas, nos campos da educação escolar, gestão territorial e ambiental, saúde, fortalecimento da associação indígena, entre outros.

As propostas podem ser inéditas ou de aperfeiçoamento de ações já em curso nas aldeias. Para maiores informações, os interessados podem acessar o Link:  https://ispn.org.br/ e Pipou-bolsas@ispn.org.br.

“Essa iniciativa reforça o nosso compromisso com os Povos Indígenas e está em linha com nosso pilar estratégico de Novo Pacto com a Sociedade. Temos uma relação de longa data com esses povos e poder contribuir por meio da educação é um diferencial que a Vale acredita fortemente que possa fomentar o protagonismo e autonomia desses indivíduos”, afirma Camilla Lott, gerente executiva de Gestão Social da Vale.

A Vale destaca que atua com foco no relacionamento construtivo, de benefícios mútuos, baseado no respeito à diversidade cultural e aos direitos dessas populações, reconhecendo a relação diferenciada que têm com o território, que envolve não só aspectos físicos e socioeconômicos, mas também culturais e espirituais. A mineradora enfatiza que, entre suas diretrizes para relacionamento com Povos Indígenas, estão a contribuição para o etnodesenvolvimento dessas populações; e o respeito e promoção dos direitos, culturas, costumes, patrimônio e à subsistência dos Povos indígenas e Comunidades Tradicionais.

Tina DeBord- com informações da Vale